iPhone da Apple abre caminho no mercado empresarial

sexta-feira, 7 de novembro de 2008 15:32 BRST
 

Por Gabriel Madway

SAN FRANCISCO, Estados Unidos (Reuters) - O novo iPhone, que já vem registrando vendas fortes entre consumidores, parece estar avançando lenta mas firmemente também no cobiçado mercado empresarial dos Estados Unidos, dominado pelo BlackBerry, da Research in Motion.

Embora a maioria das empresas não pareça disposta a abrir mão de seus confiáveis BlackBerries, analistas dizem que um movimento puxado pelos funcionários possa estar em curso, especialmente em empresas de pequeno e médio portes. A situação envolve pessoas que já adquiriram iPhones para uso pessoal e agora pressionam suas empresas a criarem sistemas que os utilizem.

"Não vejo muitas empresas dispensando o BlackBerry", disse Jack Gold, fundador do grupo de pesquisa J.Gold Associates. "Mas vejo mais empresas criando sistemas que permitam incluir o iPhone."

Gold estima que entre 15 e 20 por cento dos compradores de iPhones usarão os aparelhos para fins de negócios. "Trata-se de pessoas que compraram esse celular porque quiseram e ai levaram o aparelho para suas empresas e pediram para usar ele no trabalho ou descobriram usá-los nas redes de suas empresas."

A Apple vendeu 6,9 milhões de unidades do iPhone 3G no trimestre encerrado em setembro, ante 6,1 milhões de unidades do BlackBerry vendidas. Ainda que haja expectativa de que a desaceleração na economia mundial prejudique a venda de iPhones, a estréia forte do aparelho impressionou o setor.

A Apple disparou sua primeira salva na batalha pelos mercados empresariais em março, quando anunciou que o iPhone 3G incorporaria o Microsoft Exchange para funções de email corporativo, bem como outros padrões novos de segurança.

Na época, empresas importantes como Genentech, Nike e Walt Disney anunciaram que aceitariam o iPhone em suas redes. A Genentech informou que forneceria três mil aparelhos aos seus funcionários.

Ainda assim, ninguém duvida de que o BlackBerry continue no controle do mercado empresarial. A Apple enfrentará problemas para penetrar em setores como o de finanças e o governamental, que têm exigências de segurança superiores, dizem analistas.

Enquanto isso, a RIM está fazendo seu próprio esforço na direção contrária. O celular inteligente Storm, que ainda não foi lançado pela companhia, tem tela sensível a toques e é apontado por especialistas como modelo atraente para consumidores.