Nortel define mais cortes de custos após prejuízo de US$3,4 bi

segunda-feira, 10 de novembro de 2008 13:10 BRST
 

Por Wojtek Dabrowski

TORONTO (Reuters) - A Nortel Networks divulgou nesta segunda-feira um grande prejuízo trimestral e anunciou rodada de cortes de custos que incluem outros 1.300 funcionários.

A Nortel, maior fabricante norte-americana de equipamentos para telefonia, informou que a rápida deterioração da economia pressionou a empresa mais uma vez a reduzir suas previsões de desempenho em 2008 diante de uma situação em que companhias de telecomunicações reduzem gastos com equipamentos.

Os últimos cortes de custos envolvem cerca de 5 por cento da força de trabalho de cerca de 30 mil funcionários da empresa. Junto com as reduções de vagas, a companhia informou que vai congelar aumentos de salário, diminuir gastos com consultores e rever todo o portfólio imobiliário.

A Nortel informou que o corte de custos, junto com ações semelhantes tomadas anteriormente, vão fazer a companhia economizar cerca de 400 milhões de dólares em 2009.

A companhia divulgou prejuízo de terceiro trimestre de 3,4 bilhões de dólares, ou 6,85 dólares por ação, ante lucro um ano antes de 27 milhões de dólares, ou 0,05 dólar por ação.

O prejuízo incluiu um ajuste tributário de 2,07 bilhões de dólares e uma baixa contábil de 1,4 bilhão de dólares, informou a Nortel.

Em setembro, a companhia havia informado que a receita em 2008 cairia entre 2 e 4 por cento. Agora, dois meses depois, a Nortel afirma que o declínio vai ficar na ponta mais alta dessa estimativa.

A receita no trimestre caiu de 2,7 bilhões para 2,3 bilhões de dólares, em linha com expectativas de analistas consultados pela Reuters Estimates.

Desde 2001, a Nortel perdeu bilhões de dólares, cortou milhares de empregos e tem se mostrado incapaz de registrar um lucro consistente por causa de redução nos investimentos das companhias de telecomunicações e aumento da competição com rivais como a européia Alcatel-Lucent e asiáticos como a Huawei Technologies.

A força de trabalho da companhia encolheu de um pico de 90 mil em 2000, antes do estouro da bolha do mercado de tecnologia. Os cortes de 1.300 empregos anunciados nesta segunda-feira são menores que os 3.000 a 5.000 que analistas vinham esperando.