Lucro da Vivo salta a R$130 mi com controle de custos

terça-feira, 11 de novembro de 2008 09:05 BRST
 

Por Taís Fuoco

SÃO PAULO (Reuters) - O controle dos custos e a elevação da base de assinantes com menor índice de subsídios levaram a Vivo Participações a um forte crescimento no lucro líquido no terceiro trimestre do ano, para 129,8 milhões de reais.

Em igual período do ano passado, quando não havia ainda consolidado a Telemig Celular em seus números, o ganho da maior operadora de celular do país havia sido de 4,4 milhões de reais. Com a Telemig, a cifra foi de 42,6 milhões de reais. A Vivo acertou a compra da operadora mineira em agosto do ano passado, mas a operação foi concluída apenas em abril deste ano.

A Vivo encerrou o trimestre com uma base de clientes de 42,27 milhões, crescimento de 21 por cento em relação ao total combinado de Vivo e Telemig no mesmo período do ano passado.

Enquanto isso, a geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) teve uma evolução de 39,8 por cento, para 1,316 bilhão de reais. A margem subiu seis pontos, a 32,3 por cento.

O presidente da Vivo, Roberto Lima, destacou que, enquanto a receita líquida cresceu 13,7 por cento, a receita de serviços teve um incremento de 28 por cento, ao passo que as despesas cresceram 14 por cento (metade do aumento da receita).

O custo de aquisição por cliente, por exemplo, foi de 76 reais no terceiro trimestre, com uma queda de 31,5 por cento em relação ao mesmo trimestre de 2007.

De acordo com a companhia, isso se deve ao fato de que quase 50 por cento dos novos clientes terem sido efetivados sem subsídio e da maior entrada de clientes na tecnologia GSM, que possui custo inferior.

As despesas gerais e administrativas caíram 11,4 por cento e o total dos custos operacionais foi 7,3 por cento maior que no mesmo período de 2007, de 3,527 bilhões de reais.   Continuação...