Fabricantes de videogames prevêem Natal feliz

quinta-feira, 13 de novembro de 2008 19:26 BRST
 

Por Franklin Paul

NOVA YORK (Reuters) - As vendas de videogames devem ser fortes neste ano e em 2009, a despeito dos problemas econômicos que prejudicaram alguns dos grupos de varejo que vendem jogos, declararam executivos do setor na quinta-feira.

Falando na conferência BMO Capital Markets Interactive sobre entretenimento, em Nova York, eles afirmaram que seu otimismo é alimentado pelas vendas sólidas dos consoles avançados de videogame produzidos pela Nintendo, Sony e Microsoft.

Já que Wii, PlayStation 3 e Xbox 360 devem continuar em alta na temporada de vendas natalinas, os consumidores deverão igualmente comprar os jogos necessários a utilizá-los.

"Creio que o setor vá se sustentar bem melhor que outros", disse Mindy Mount, vice-presidente financeira da divisão de entretenimento e aparelhos da Microsoft. "Continuamos cautelosamente otimistas."

A perspectiva para os videogames é rósea, em contraste com muitos outros setores.

Na quarta-feira, a cadeia de varejo Best Buy, a maior rede de venda de eletrônicos dos Estados Unidos, reduziu suas projeções de lucros, apenas dois dias depois que a Circuit City Stores pediu concordata, devido à queda do consumo e às condições de crédito mais rígidas impostas pelos fornecedores.

Ainda assim, Yves Guillemot, presidente-executivo da francesa Ubisoft Entertainment, fabricante da série "Splinter Cell", acredita que as vendas de videogames crescerão acima da projeção de alta de 20 por cento para a Europa e os EUA apresentada por Edward Williams, analista da BMO.

Guillemot acrescentou que 2009 "também será um ano excelente", acrescentando que os negócios podem ser melhores em lojas com perfil demográfico de clientes diferente do registrado pela Best Buy, a exemplo do grupo de varejo de baixo preço Wal-Mart Stores e da cadeia de lojas de videogame GameStop.

"O que vemos é que lojas como Wal-Mart e Game Store mantêm seu tráfego e vendem muitos jogos", disse Guillemot. "A competição (de outros produtores) é forte, mas os jogos venderão bem, porque há muitos proprietários de consoles que precisam de software."