HP e Dell preparam resultado em ambiente de crise mais grave

sexta-feira, 14 de novembro de 2008 10:49 BRST
 

Por Gabriel Madway

SAN FRANCISCO, Estados Unidos (Reuters) - A Hewlett-Packard e a Dell vão anunciar resultados trimestrais em meio ao ambiente econômico mais grave desde a Grande Depressão da década de 1930 e a perspectivas sombrias para o setor de computadores pessoais.

A HP, devido às fontes de receita recorrentes nos serviços e suprimentos para impressão, pode ser capaz de se isolar melhor contra um declínio nas vendas, e analistas esperam que a recente aquisição da provedora de serviços de tecnologia EDS pelo grupo gere economia de custos.

Para a Dell, os analistas pintam quadro diferente. "Tenha em mente que a Dell tem mais exposição a computadores pessoais que a HP", disse Shannon Cross, da Cross Research. "A HP é muito mais diversificada. Isso não quer dizer, porém, que ela não esteja exposta aos mercados empresarial e de consumo, como todas as demais empresas."

Os investidores vão buscar sinais de cortes de preços pela Dell para ampliar participação de mercado e de novos planos de diversificação da parte da HP.

A Dell deve anunciar resultados em 20 de novembro e a HP fará o mesmo no dia 24.

Na quarta-feira, a Intel, maior fabricante mundial de chips e uma das empresas que servem como referência ao mercado de tecnologia, fez um alerta sobre seu desempenho, o que alimentou preocupação sobre os gastos dos consumidores com tecnologia. Alguns dias atrás, a cadeia de lojas de eletrônicos Best Buy reduziu suas projeções para o ano.

Depois do alerta da Intel, o Goldman Sachs e a BMO Capital Markets rebaixaram recomendações quanto à Dell.

Citigroup, Credit Suisse e Deutsche Bank agora antecipam queda nas vendas mundiais de computadores em 2009.

Andrew Bartels, analista da Forrester, disse que a HP está mais preparada para momentos difíceis e ele antecipa que a empresa siga a IBM e entre em novas áreas de negócios.

"Para a Dell, especialmente, a situação não parece boa. No caso da HP, parece um pouco melhor, porque ao menos eles têm duas outras linhas de negócios", afirmou o analista.