Sharp pode cortar produção de LCD por queda na demanda

segunda-feira, 17 de novembro de 2008 15:56 BRST
 

TÓQUIO (Reuters) - A Sharp está avaliando cortar produção de telas de cristal líquido (LCD) por causa da crise global que afeta da demanda por TVs equipadas com a tecnologia. Apesar disso, a empresa informou que continuará com os planos para investir 3,9 bilhões de dólares na construção de uma fábrica de painéis de última geração.

Ao diminuir a produção, a terceira maior fabricante de televisores LCD do mundo se juntará a rivais, incluindo a líder de mercado Samsung, que disse no último mês que estava "ajustando" produção em meio à fraca demanda por TVs e telas de computador.

A Sharp informou nesta segunda-feira que detalhes não foram decididos, mas o jornal de negócios Nikkei informou no sábado que a companhia começará a reduzir produção em meados de dezembro e taxas de utilização de suas duas fábricas próprias no Japão podem cair abaixo de 90 por cento.

As fábricas, que estão trabalhando à plena força atualmente, têm capacidade combinada para produzir cerca de 22 milhões de unidade de painéis LCD de 32 polegadas por ano.

Uma porta-voz da Sharp, entretanto, disse que nada mudou no plano da empresa de investir 380 bilhões de ienes (3,94 bilhões de dólares) para construção de uma fábrica avançada de painéis LCD no Japão até março de 2010.

A nova fabrica usará materiais mais eficientes, o que ajudará a empresa a oferecer telas LCD a preços mais competitivos.