27 de Novembro de 2008 / às 19:04 / em 9 anos

Telecom Italia avalia TIM, mas não pretende vendê-la--fontes

Por Stefano Rebaudo

MILÃO (Reuters) - A Telecom Italia vai discutir os negócios da companhia no Brasil, onde o investidor-chave Telefónica também atua, em uma reunião na próxima semana, mas não deve optar pela venda da TIM, segundo fontes próximas à companhia.

A operadora da companhia italiana no Brasil tem tido o maior crescimento do grupo durante anos. No terceiro trimestre deste ano, ela reverteu perdas com um lucro de 22,5 milhões de reais, ajudada por uma estabilização na base de clientes, depois de sofrer anteriormente com uma crise financeira.

O antigo monopólio de telefonia da Itália vai atualizar os investidores sobre seus planos em uma apresentação no dia 3 de dezembro em Londres, depois da reunião do conselho marcada para o dia anterior.

O diretor-presidente Franco Bernabe está sob pressão para provar que pode reverter a atual situação da companhia.

Bernabe tem resistido à idéia de separar a operação de telefonia fixa do grupo em uma unidade independente, da qual eventualmente poderia vender uma parte. Ele também não tem uma posição se a companhia deve ou não vender a operadora brasileira.

As ações da Telecom Italia e da TIM, entretanto, subiram nesta quarta-feira diante de uma reportagem do jornal italiano Il Sore 24 Ore que afirmava que as opções estudadas são vender a operação fixa ou a brasileira TIM.

As ações da Telecom Italia perderam metade de seu valor em um ano, em parte por conta das dúvidas relacionadas à estratégia que será adotada pelo executivo. Cotadas a cerca de um euro, elas levam o valor de mercado atual da companhia a 18 bilhões de euros.

Na reunião da próxima semana, os analistas esperam mais detalhes sobre os esforços de corte de custos da empresa, cujo endividamento de 37 bilhões de euros (47,73 bilhões de dólares) é mais que o dobro de seu atual valor de mercado.

A operadora brasileira promoveu mudanças em sua administracção e em seu call center este ano, depois de sofrer aumento da inadimplência e perda de participação de mercado.

“A reunião do conselho de administração da TIM foi agendado para discutir os progressos depois dos fracos resultados nos trimestres anteriores”, disse a fonte.

“O Brasil permanece prioritário para o grupo, a menos que haja uma mudança radical na estratégia, o que não é esperado para este momento”, acrescentou.

Os membros que representam a Telefónica não participarão das discussões sobre o Brasil. A companhia espanhola participa do controle da Telecom Italia como acionista minoritária do consórcio Telco, junto a bancos italianos. O consórcio tem 24,5 por cento da empresa italiana.

Procurada na quarta-feira para comentar a informação do jornal italiano, a TIM informou, através de sua assessoria de imprensa, que não comenta rumores.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below