Justiça decide destino de bebê vendido pela Internet

quinta-feira, 27 de novembro de 2008 17:52 BRST
 

AMSTERDÃ (Reuters) - Um bebê belga comprado pela Internet para adoção por um casal holandês deve ser colocado temporariamente sob os cuidados das autoridades holandesas, ordenou uma corte nesta quinta-feira.

Segundo notícias da imprensa local, o casal comprou o garoto em julho de um casal belga em Ghent. Uma emissora de TV afirmou que foram pagos entre 5 mil e 10 mi euros (entre 6,45 mil e 12,9 mil dólares) pela criança.

O casal holandês nega ter comprado o bebê, afirmando em rede holandesa que eles apenas pagaram os custos decorrentes da gravidez.

A corte da cidade holandesa de Zwolle afirmou que o casal quebrou as leis para a adoção de uma criança estrangeira e colocou o bebê sob os cuidados das autoridades do bem-estar da criança.

O Conselho de Proteção da Criança, parte do Ministério da Justiça holandês, pediu à corte que colocasse o garoto sob custódia até que as autoridades belgas tomem uma decisão sobre o que fazer com o bebê.

"Ter clareza sobre a história de sua família é de uma importância fundamental para o crescimento de uma criança. Obscurecer a sua identidade verdadeira pode ser prejudicial", afirmou o conselho em comunicado.

O escritório de promotoria pública da Holanda começou as investigações sobre o caso, enquanto as autoridades belgas também estão buscando mais informações, afirmou a agência de notícias holandesas ANP.

(Reportagem de Catherine Hornby e Aaron Gray-Block)