Telefónica diz que crescerá na A.Latina mesmo com crise

terça-feira, 2 de dezembro de 2008 13:33 BRST
 

MADRI (Reuters) - O grupo espanhol de telecomunicações Telefónica assegurou nesta terça-feira que continuará crescendo nos próximos anos na América Latina e que não mudará seus objetivos de rentabilidade e receitas dos próximos anos na região.

A companhia, que contava com mais de 150 milhões de clientes na América Latina até o fim de setembro, quer aumentar as receitas na região entre 10 e 13 por cento anualmente no período entre 2006 e 2010, e elevar lucro operacional entre 12 e 17 por cento por ano no mesmo período.

"É possível que o mercado das telecomunicações cresça um pouco menos que o previsto, mas seguirá crescendo", disse José María Alvarez Pallete, diretor-geral da Telefónica para a América Latina, em um encontro com jornalistas.

Ao ser perguntado se a companhia se via forçada a revisar para baixo suas previsões para a região dado o impacto da crise fincanceira mundial, o executivo respondeu: "Absolutamente não."

Pallete acrescentou que o fator demográfico joga a favor das previsões da empresa para a região. "Uma das fontes de crescimento será a incorporação de novos clientes de telefonia móvel", comentou.

Segundo as previsões da Telefónica, 83 por cento da população da América Latina terá um celular até o fim de 2010, ante os 75 por cento do final de junho de 2008.

No Brasil, seu mercado mais importante na região, com cerca de 43 milhões de clientes de telefonia celular, a taxa de penetração do serviço subirá para 96,9 por cento em 2011, ante 64,5 por cento em 2007, de acordo com estimativas da operadora.