4 de Dezembro de 2008 / às 18:22 / 9 anos atrás

PAC e celular animam eletroeletrônicos para 2009

Por Taís Fuoco

SÃO PAULO (Reuters) - A expectativa de manutenção das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), assim como a infra-estrutura para exploração do petróleo nas reservas recém-descobertas e a ampliação das redes de banda larga e telefonia celular, garantem ânimo da indústria de eletroeletrônicos para 2009.

A Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) projetou nesta quinta-feira receita 7 por cento maior no ano que vem, de 132,81 bilhões de reais. Em 2008, segundo dados colhidos até agora, o crescimento foi de 11 por cento.

Segundo Humberto Barbato, presidente da entidade, alguns fatores ajudam o setor a ter “um certo grau de otimismo” para o próximo ano.

Um desses fatores está ligado à produção de petróleo por parte da Petrobras. “A área de automação industrial tem perspectivas muito positivas de entrada de encomendas” pelos projetos da estatal de petróleo, disse.

Além disso, o setor de telecomunicações deve continuar a demandar equipamentos. Barbato lembrou que as redes de terceira geração de celular ainda estão sendo implementadas e que, com a chegada da portabilidade numérica, “as operadoras não poderão parar de investir”.

Ele lembrou ainda o leilão de linhas de transmissão do Rio Madeira, que gera negócios para a área de energia, e o setor de informática, que também deve crescer diante da demanda de sistemas novos de gestão por parte das empresas.

“Por tudo isso, crescer 6 a 7 por cento é perfeitamente factível”, acrescentou a jornalistas.

NOVOS LEILÕES EM 2009

O diretor de telecomunicações da Abinee, Paulo Castelo Branco, lembrou que a Anatel deve licitar, no próximo ano, as frequências de banda larga sem fio pela tecnologia WiMax.

“A consulta pública já está na rua e, se o leilão acontecer no primeiro trimestre, deve começar a gerar negócios a partir do segundo semestre”, disse.

Castelo Branco acrescentou que, com a terceira geração de celular, “o tráfego de dados tem aumentado considervalmente”, já que o telefone móvel na 3G permite conexões velozes à Internet. Por isso, as operadoras também terão de investir em aumento da infra-estrutura de dados para atender essa demanda.

As operadoras que adquiriram licenças de 3G também assumiram compromissos de levar rede de celular a quase 2 mil cidades ainda descobertas, o que exigirá compra de equipamentos para a montagem dessas redes.

A Abinee trabalha com a projeção de que a economia brasileira cresça 3,0 por cento em 2009 e estima que o dólar fique próximo dos 2,20 reais.

O setor de telecomunicações foi o que apresentou maior percentual de crescimento em 2008, segundo os dados da Abinee. A receita desse segmento deve ficar 21 por cento maior que em 2007, em 21,13 bilhões de reais.

A fatia desse segmento é a segunda maior entre os setores cobertos pela Abinee, só perdendo para o de informática, que deve movimentar 34,9 bilhões de reais.

Com exceção de componentes, que teve decréscimo de 5 por cento, e de utilidades domésticas, cuja receita ficou estável, todos os setores dessa indústria tiveram aumento no faturamento bruto.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below