Motorola corta benefícios para economizar mais de US$800 mi

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008 14:26 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - A fabricante de celulares Motorola está suspendendo contribuições a um plano de pensão de funcionários, interrompendo alguns aumentos de salário e reduzindo pagamentos de seus dois principais executivos para cortar custos.

A empresa, cuja deficitária divisão de celulares vem perdendo participação de mercado, também informou nesta quarta-feira que vai permanentemente congelar seus planos de pensão nos Estados Unidos enquanto tenta ampliar economias de custos para além dos 800 milhões de dólares que tinha anunciado em 30 de outubro.

A Motorola, cujos planos foram anunciados em um momento de vários alertas sobre a demanda de celulares feitos pela Nokia, informou que está temporariamente suspendendo contribuições para um fundo de investimento de seus funcionários.

A empresa afirmou ainda que empregados em muitos dos mercados onde opera não receberão aumentos de salário.

Os co-presidentes-executivos Greg Brown e Sanjay Jha vão voluntariamente assumir um corte de 25 por cento em seus salários-base de 2009.

Brown também vai voluntariamente desistir de qualquer pagamento de bônus em dinheiro sobre 2008. Enquanto isso, Jha vai reduzir seu bônus em proporção igual a de Brown.

"O contínuo declínio da economia global exige que nós tomemos esses passos difíceis, mas necessários", disseram os executivos em comunicado conjunto.

(Por Sinead Carew)