Ação da Apple cai mais de 7% por preocupação com saúde de Jobs

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008 14:26 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - As ações da Apple caíam mais de 7 por cento nesta quarta-feira com preocupações sobre a saúde do presidente-executivo da companhia e sobre se a empresa tem algum produto novo planejado depois que anunciou que Steve Jobs não vai fazer um discurso na feira de tecnologia Macword, em janeiro.

As ações da Apple caíam para abaixo de 90 dólares, após fechar a 95,43 dólares na véspera. Na noite de terça-feira, a empresa afirmou que um executivo de marketing realizará o discurso de abertura da feira anual Macworld, no lugar de Jobs.

A Apple ainda informou que 2009 será a última edição em que participará da Macworld.

Yair Reiner, analista da Oppenheimer, rebaixou as ações de "acima da média" para "dentro da média do mercado" e afirmou que existe "provavelmente uma razão puramente comercial para a decisão de Jobs de não ir à Macworld em 2009 e da Apple não participar mais do evento".

Mas o cancelamento "nos faz lembrar que nós ainda não sabemos nada sobre a saúde dele ou qualquer plano potencial de sucessão" na empresa, afirmou o analista em comunicado, acrescentando que a saída de Jobs "pode deixar a empresa em desordem".

Investidores se preocuparam em junho quando Jobs, que tem 53 anos e já sobreviveu ao câncer, apareceu magro quando subiu no palco para lançar um produto. Em setembro, em outro evento, Jobs apareceu magro mais uma vez, mas animado e até brincou sobre os rumores sobre sua saúde. Ele é considerado por alguns como insubstituível líder da Apple.

"Talvez ele não esteja se sentindo bem ou talvez ele simplesmente não tenha nada de novo para dizer", afirmou Reiner.

Outra analista, Shannon Cross, da Cross Research, afirmou que a ausência de Jobs pode significar que a Apple não tenha "nenhum anúncio significativo de produto" para a feira.

Mas Cross afirmou que acredita que seria importante para a companhia tornar Jobs disponível para a imprensa ou investidores no início do próximo ano como forma de aliviar as preocupações.

 
<p>Homem caminha em loja da Apple em Nova York. A&ccedil;&otilde;es da companhia ca&iacute;am mais de 7% nesta quarta-feira com om preocupa&ccedil;&otilde;es sobre a sa&uacute;de do presidente-executivo da companhia, Steve Jobs. REUTERS/Lucas Jackson</p>