Comsat vence pregão para fornecer notebook educacional

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008 19:18 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - Sete empresas apresentaram propostas no pregão eletrônico realizado nesta quarta-feira pelo Ministério da Educação para o fornecimento de notebooks educacionais.

A que apresentou o menor preço foi a empresa paulista Comércio Representação Importação e Exportação de Equipamentos Elétrico-Eletrônicos (Comsat), com o lance de 553 reais por equipamento, ou 82,55 milhões pelos 150 mil que serão adquiridos pela pasta da Educação.

Nesse valor, de acordo com o ministério, estão incluídos a entrega nas escolas, os impostos, garantias, manutenção e configuração de cada equipamento.

Além da Comsat, participaram as empresas Digibrás, Positivo Informática, Data Graphics, Designer Informática, Novadata e Reifasa Comercial.

O modelo apresentado pela Comsat é o Mobilis, criado pela empresa indiana Encore. De acordo com o edital do governo, o modelo deve ter memória RAM com no mínimo 512 MB, capacidade mínima de um gigabyte, tela de LCD de no mínimo sete polegadas, dispositivo wireless, software livre e código aberto, idioma português, editor de textos, planilhas, apresentação de slides e 12 meses de garantia.

O ministério salienta que o resultado ainda é preliminar, porque na próxima segunda-feira será realizada a fase de aderência. Nessa etapa é verificado se o equipamento atende às especificações exigidas no edital.

Em seguida, será aberto o prazo de recurso e somente depois dessa etapa a empresa será chamada para firmar o contrato.

A compra faz parte do programa Um Computador por Aluno (UCA) do Ministério da Educação, que tem por meta informatizar o ensino público. Um projeto piloto já está sendo realizado em cinco escolas de quatro estados brasileiros (Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo e Tocantins), além do Distrito Federal.

No final de 2007, o governo já havia realizado esse pregão, mas o menor preço conseguido ainda foi considerado alto pelo Planalto e, por isso, a licitação foi cancelada.

A Positivo Informática foi a vencedora na ocasião, com o preço de 654 reais por equipamento. Ela ainda negociou com os fornecedores para reduzir o preço a 580 reais, mas ainda assim não conseguiu o contrato.

(Reportagem de Taís Fuoco)