Siemens mantém metas e vê potencial de aquisições

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008 16:28 BRST
 

FRANKFURT/BERLIM (Reuters) - A Siemens espera que a reestruturação de suas divisões mobilidade e Osram ajude o setor industrial do grupo a atingir suas metas no ano fiscal de 2008/2009, e considera a crise financeira como oportunidade de tomar o controle de rivais.

O setor industrial, que responde por quase metade das vendas anuais da Siemens, deve registrar vendas com crescimento zero em 2008/2009 e margem de lucro de entre 9 e 13 por cento, de acordo com Heinrich Hiesinger, o comandante do setor, em apresentação aos investidores do conglomerado alemão de mecânica e eletrônica, em Munique.

O presidente-executivo, Peter Lscher, declarou que a empresa poderia aproveitar a crise para abocanhar empresas menores do setor, enfraquecidas pela desaceleração na economia.

A Siemens anunciou no mês passado que a compressão no crédito mundial havia tornado mais difícil para a empresa cumprir suas metas em 2009, mas não as rebaixou.

As ações da Siemens subiram quase 4 por cento, para 51 euros.

Empresas de todo o mundo vêm adiando ou cancelando investimentos planejados a fim de reter reservas de caixa que podem garantir suas operações caso a crise econômica não apresente sinais de melhora em curto prazo. Entre os setores mais atingidos estão o de serviços financeiros e o automotivo.

Lscher disse que a Siemens está bem preparada para a crise e que tem reservas de 7 bilhões de euros, ainda que se tenha declarado surpreso pela velocidade e extensão da desaceleração econômica.

"Estamos em ótima forma", disse Lscher. "Usaremos a crise de maneira pró-ativa para aquisições orientadas ao futuro."

As aquisições devem ter dimensões menores que a divisão VDO da Siemens, vendida à Continental por 11,4 bilhões de euros (16,39 bilhões de dólares) no ano passado, disse Lscher em palestra ao Foreign Press Club de Berlim, na quinta-feira.

(Por Maria Sheahan e Erik Kirschbaum)