Homem vence 1o caso na China sobre perseguição online

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008 10:19 BRST
 

PEQUIM (Reuters) - Um homem que perdeu o emprego e sofreu agressões de desconhecidos depois que sua infidelidade a sua esposa foi revelada online, venceu o primeiro processo contra assédio via Internet na China, informou na sexta-feira o China Daily.

Um tribunal de Pequim decidiu que a reputação de Wang Fei foi prejudicada por Zhang Leyi, um colega de universidade de sua falecida esposa que publicou na Web trechos de diário que ela havia escrito meses antes de se matar, e pela empresa de Internet que hospedava esses comentários.

"Enquanto Zhang espalhava os detalhes sobre o caso, ele forneceu detalhes sobre o nome real de Wang, a empresa para a qual ele trabalhava e até mesmo endereços familiares, o que viola o direito do queixoso à privacidade", afirmou o juiz que presidiu ao caso.

Zhang foi condenado a pagar multa 5 mil yuan (730 dólares) a Wang, e a Beijing Lingyun Interactive Information and Technology terá de pagar 3 mil yuan (440 dólares).

Zhang afirmou que criou o site depois de ler o diário que narrava o sofrimento de Jiang (a mulher de Wang) ao descobrir o adultério do marido, dois meses antes. Ele teve a intenção de "celebrar sua vida e ajudar a fazer justiça a ela."

Internautas enfurecidos com a história montaram uma caçada online a Wang, um homem na casa dos 20 anos, mobilizando o fenômeno conhecido na China como "serviço humano de busca".

Wang teria supostamente sido forçado a pedir demissão e encontrou problemas para encontrar novo emprego depois que desconhecidos o localizaram e contataram as empresas onde ele e sua amante trabalhavam, segundo o jornal.

Xingamentos foram pichados na porta da casa de seus pais, e sua foto, endereço e números de telefone foram divulgados publicamente.

Os 290 milhões de usuários de Internet da China conseguiram a demissão de muitos funcionários do governo, nos últimos anos, por meio de denúncias semelhantes.

No mês passado, o Ministério do Transporte demitiu um funcionário por maltratar fisicamente uma menina de 11 anos em um restaurante local, depois que internautas publicaram na Web fotos do incidente e detalhes sobre o funcionário.