China mira contra grandes sites em campanha contra "vulgaridade"

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009 16:13 BRST
 

PEQUIM (Reuters) - O governo da China lançou uma campanha contra sites em um momento em que o país entra em um ano politicamente delicado. Autoridades acusam sites de busca como Baidu e Google de disseminarem pornografia e vulgaridade.

Nota divulgada no site oficial do governo (www.china.com.cn) afirma que transgressores recorrentes e aqueles que têm uma "influência maligna" podem ser expostos, punidos ou fechados.

O Ministério da Segurança Pública e outras seis agências governamentais da China anunciaram a campanha em reunião nesta segunda-feira, informou a TV estatal, mostrando imagens de autoridades confiscando equipamentos digitais de um escritório não identificado.

A reunião "decidiu lançar uma campanha nacional para limpar a vulgaridade da Internet e nomear e expor um grande número de violadores da moralidade pública e da saúde física e mental dos jovens", afirma a nota.

As 19 empresas de Internet e sites citadas na região fracassaram na eliminação de conteúdos "vulgares" e ignoraram alertas de censores, segundo informou a TV estatal.

A Baidu domina o mercado chinês de buscas na Web, detendo dois terços da audiência. O Google está em um distante segundo lugar no segmento na China.

A campanha coincide com os esforços do Partido Comunista em eliminar dissidências e protestos em um momento em que a economia desacelera e a China inicia um ano de aniversários politicamente sensíveis. Entre eles estão os 20 anos da sangrenta repressão de manifestação pró-democracia em 1989.

(Por Chris Buckley)