Lenovo alerta para prejuízo trimestral e corta empregos

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009 08:52 BRST
 

Por Donny Kwok

HONG KONG (Reuters) - O grupo Lenovo, quarto maior fabricante de computadores pessoais do mundo, prevê prejuízo trimestral em um momento em que a desaceleração econômica da China atinge as vendas. A empresa também vai cortar 2,5 mil empregos em uma reestruturação.

As ações da companhia que comprou a divisão de PCs da IBM em 2005 por 1,25 bilhão de dólares para ter presença global despencaram mais de 25 por cento, na pior queda em 11 anos sofrida pelos papéis.

A companhia ressaltou que a demanda global mais fraca por parte de empresas também prejudicou as vendas.

"Lucros trimestrais ruins eram amplamente esperados, especialmente nos grandes mercados estrangeiros, mas uma desaceleração maior que a esperada na China preocupa os investidores", disse Conita Hung, chefe de pesquisa de equity da Delta Asia Financial. "O mercado esperava inicialmente que a China contrabalanceasse parte do desempenho ruim no exterior."

A Lenovo informou que os 2,5 mil empregos, cerca de 11 por cento de sua força de trabalho, serão cortados entre janeiro e março e ajudarão a economizar 300 milhões de dólares no ano que termina em março de 2010.

A companhia informou em 18 de dezembro que manteve discussões para comprar a Positivo Informática, maior fabricante de PCs do Brasil, mas a companhia brasileira rejeitou a oferta de 18 reais por ação.

A Lenovo informou que vai consolidar suas organizações na China e na região da Ásia-Pacífico em uma única entidade e vai cortar bônus de executivos.

A rival maior Dell anunciou na quinta-feira que vai cortar entre 1.900 e 3.000 empregos em uma fábrica na Irlanda e transferir muitos deles para a Polônia, a operação é parte de um esforço de redução de custos de 3 bilhões de dólares.

A Lenovo sofreu uma queda de 78 por cento no lucro líquido de julho a setembro, para 23,44 milhões de dólares. O resultado foi a pior performance da companhia desde que comprou os negócios da IBM

"Apesar da integração com as atividades de PCs da IBM ter sido um sucesso nos últimos três anos, nossa performance no último trimestre não cumpriu nossas expectativas", disse o presidente do conselho da companhia Yang Yuanqing, em comunicado.