OLPC reduz metade da equipe e salários por conta da crise

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009 16:33 BRST
 

BOSTON (Reuters) - Um projeto norte-americano que visa levar laptops de baixo custo para estudantes de países em desenvolvimento vai cortar metade de seu quadro de pessoal, ou 30 pessoas, citando tempos difíceis na economia.

Os salários dos 32 funcionários remanescentes na fundação One Laptop per Child (OLPC) serão reduzidos, disse Nicholas Negroponte, professor do Massachusetts Institute of Technology (MIT) e idealizador do projeto.

"Como muitas outras organizações sem fins lucrativos que estão enfrentando tempos difíceis, a One Laptop per Child deve encolher para manter os custos em linha com os poucos recursos financeiros disponíveis", disse ele, em um comentário em seu blog (blog.laptop.org).

O grupo também vai adequar o tamanho das operações de retaguarda, eliminando uma organização que dá suporte aos laptops vendidos na América Latina e centralizando esforços na expansão das vendas em países do Oriente Médio, assim como Afeganistão e Paquistão, disse ele.

A fundação ainda não atingiu seu objetivo inicial de vender laptops ao preço de 100 dólares cada, mas algo como 500 mil unidades do equipamento já são usadas em escolas de todo o mundo. Aqueles que quiserem doar um deles a uma criança vão pagar, entretanto, 199 dólares na Amazon por ele.

O Brasil, inspirado no modelo da OLPC, criou o programa Um Computador por Aluno (UCA), cuja primeira licitação, para a compra de 150 mil equipamentos pelo Ministério da Educação, aguarda a liberação do Tribunal de Contas da União (TCU). A vencedora, a brasileira Comsat, entrou na disputa com um modelo criado pela indiana Encore, e não o modelo OLPC.

(Reportagem de Jim Finkle)