Netbooks assumem posição central na CES

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009 11:48 BRST
 

Por Gabriel Madway

LAS VEGAS (Reuters) - Os netbooks foram assunto de todos durante a Consumer Electronics Show, em Las Vegas, se expandindo como uma categoria de pequenos laptops que está reescrevendo as regras para o setor de computadores agora em crise.

Embora quase todos os fabricantes de computadores mostraram um novo netbook na feira de quatro dias encerrada domingo, ao que parece não havia acordo entre as empresas sobre as regras que definem esse segmento de notebooks pequenos e ultraportáteis.

Alguns netbooks são computadores enxutos, otimizados para o uso da Internet e com preços acessíveis da ordem de 300 a 400 dólares. Mas outros são mais sofisticados, como o modelo com tela de oito polegadas e preço de 900 dólares lançado pela Sony, equipado com todos os recursos de notebooks maiores.

Ainda é cedo nesse mercado --os netbooks só decolaram no ano passado-- e por isso não se pode dizer qual será o lugar definitivo do netbook no universo dos computadores pessoais.

Caso os netbooks sejam, como muitas empresas esperam, um produto adicional aos laptops ou computadores de mesa tradicionais, elas terão descoberto uma nova fonte de vendas.

Mas se os netbooks forem substitutos dos laptops, poderiam prejudicar substancialmente o mercado de notebooks, já que pressionariam as margens de lucro dos fabricantes de computadores.

J. P. Gownder, analista da Forrester, define os netbooks como "um terceiro fator no mercado de computadores ao consumidores, além dos laptops e computadores de mesa" e afirma em relatório de pesquisa que as empresas deveriam enfatizá-los como produto complementar.

Phil McKinney, vice-presidente de tecnologia do grupo de sistemas pessoais da Hewlett-Packard, disse que a empresa continua a ver os netbooks como segundos computadores. "Nós vemos os minis como um produto entre categorias," ele disse.

O que é certo é que os netbooks representam um dos poucos pontos favoráveis para fabricantes de computadores que estão sendo punidos pela redução nos gastos com tecnologia da informação e pela queda na demanda de consumo causada pela crise econômica mundial.

(Reporting by Gabriel Madway, editing by Tiffany Wu, Bernard Orr)