Assessor de Obama descarta estímulos ao setor de banda larga

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009 17:58 BRST
 

Por Kim Dixon

WASHINGTON (Reuters) - Um assessor do presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, para a área de tecnologia disse nesta quarta-feira que os defensores de uma expansão no mercado de Internet de banda larga devem usar a atual infraestrutura e não contar com um pacote de estímulo do governo.

Empresas de tecnologia e seus defensores estão competindo para ter alguma influência no pacote de estímulo à economia de 800 bilhões de dólares que está sendo elaborado pelo Partido Democrata.

Grupos de defesa dos consumidores querem que o pacote inclua políticas públicas como estímulo à competição entre as empresas dominantes de telefonia e cabo como AT&T, Verizon Communications e Comcast.

Blair Levin, um dos principais assessores de Obama, afirmou que um pacote destinado à banda larga deve ser feito "na hora certa, com o alvo certo e por um determinado período".

"Você deve usar a atual estrutura", disse Levin para um grupo de congressistas.

Ele disse que Obama ainda definirá objetivos para expandir o acesso em banda larga e a forma de ter uma rede nacional pública.

O assessor explicou, entretanto, que "a parcela de banda larga da agenda de Obama não será incluída no pacote de recuperação da economia".