AMD corta 1,1 mil empregos e reduz salários

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009 16:42 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - A Advanced Micro Devices (AMD) informou nesta sexta-feira que vai cortar 1,1 mil postos de trabalho e reduzir os salários dos principais executivos em até 20 por cento diante do enfraquecimento da economia.

A empresa, que é a segunda maior fabricante de chips, atrás da Intel, disse que o presidente do conselho Hector Ruiz e o presidente-executivo Dirk Meyer vão temporariamente ter seus ganhos reduzidos em 20 por cento, enquanto os demais executivos da empresa nos Estados Unidos e Canadá terão cortes de 15 por cento em seus rendimentos.

Os empregados da AMD nos Estados Unidos que não recebem horas-extras terão redução de 10 por cento nos salários, enquanto os horistas sofrerão corte de 5 por cento. A empresa também pretende implementar cortes salariais aleatórios fora dos Estados Unidos.

A AMD ainda informou que vai suspender suas contribuições ao plano de aposentadoria de seus funcionários.

A empresa disse que os cortes de pessoal vão atingir 9 por cento de sua força de trabalho e serão acompanhados de um encolhimento na estrutura, desinvestimento da linha de negócios de computadores de mão (handhelds) e eliminação de outros 900 postos de trabalho.

Em um comunicado por email, a AMD não informou qual a economia que espera obter com essas ações.

(Reportagem de Sinead Carew)