Índia estende investigação sobre a Satyam para novas empresas

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009 18:03 BRST
 

Por Sumeet Chatterjee

BANGALORE (Reuters) - A Satyam Computer Services, envolvida em fraudes contábeis, informou nesta segunda-feira que um cliente norte-americano -- a State Farm Insurance -- cancelou o contrato com a empresa de tecnologia e que o governo indiano ampliou a investigação para outras duas empresas ligadas ao fundador da Satyam, que está preso.

O governo disse que as investigações em curso pelo Escritório de Investigação Oficial de Fraudes sobre esse, que é o maior escândalo corporativo da Índia, foi ampliado para incluir também a Maytas Properties e a Maytas Infra, empresas que a Satyam pensou em comprar em meados de dezembro.

O Ministro de Assuntos Corporativos, Prem Chand Gupta, disse a jornalistas que os investigadores informaram ao governo sobre "uma aparente conexão entre os eventos que aconteceram com a Satyam e outras companhias, entre as quais a Maytas Properties e a Maytas Infra".

A Satyam, quarta maior exportadora de software e serviços da Índia, entrou em crise depois que seu fundador Ramalinga Raju renunciou ao cargo no início deste mês, revelando que os lucros da companhia foram falsificados por anos e que seu caixa de 1 bilhão de dólares na verdade não existe.

Na carta de renúncia do dia 7 de janeiro, Raju disse que o acordo para comprar as empresas Maytas havia sido sua última tentativa para resolver os problemas de ativos fictícios no balanço da Satyam. O termo Maytas, lido ao contrário, equivale à Satyam.

A Maytas Infra é uma empresa da área da construção onde Raju e sua família controlam 36 por cento, informou nesta segunda-feira o presidente-executivo que renunciou ao cargo.