Google decide cancelar programa que vende publicidade em jornais

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009 10:22 BRST
 

Por Robert MacMillan e Gina Keating

NOVA YORK/LOS ANGELES (Reuters) - O Google cancelará um programa de venda de publicidade em jornais porque não está faturando o suficiente. A decisão representa um revés para os esforços da empresa de expandir sua expertise publicitária a outros meios.

O Google cancelará o programa Print Ads em 28 de fevereiro, anunciou a empresa em seu blog. O serviço, criado dois anos atrás, tinha por objetivo ajudar os jornais a ganhar dinheiro ao convencer anunciantes do Google a expandir suas atividades ao meio impresso.

"Não estávamos causando impacto nos jornais parceiros, como fonte de receita, de modo que decidimos concentrar nossos esforços em como realizar essa missão de maneira rápida e efetiva utilizando ferramentas online", disse Brandon McCormick, porta-voz do Google.

Os clientes do Print Ads que tiverem reservado campanhas podem continuar colocando anúncios até 31 de março, informou o Google em seu blog.

Para a empresa, que construiu sua fenomenal reputação com base em seu domínio dos negócios de publicidade online, encerrar o programa constitui um raro fracasso.

O Google e os jornais estão enfrentando um mercado publicitário desfavorável, exacerbado pela crise financeira mundial. A empresa, uma potência no mercado publicitário que vem expandindo seu alcance enquanto a mídia impressa tradicional perde terreno, anunciou na semana passada a demissão de 100 recrutadores de pessoal e o fechamento de três escritórios de engenharia.

As vendas de publicidade dos jornais em papel foram de 42,2 bilhões de dólares em 2007, ante um pico de 48,7 bilhões de dólares em 2000, de acordo com a Newspaper Association of America.

"Até mesmo uma empresa jornalística pura encontra dificuldades para sobreviver nesse mercado; para o Google, não existem oportunidades materiais de receita em curto prazo", disse Sandeep Aggarwal, analista da Collins Stewart que cobre o grupo.

Um porta-voz do Google não informou quanto dinheiro a empresa e seus parceiros jornalísticos esperavam ganhar com o programa Print Ads.