Acordos de fusão no mercado de memória se aquecem em Taiwan

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009 13:20 BRST
 

Por Baker Li e Sachi Izumi

TAIPEI/TÓQUIO (Reuters) - As conversas sobre uma possível consolidação na combalida indústria de chips de memória de Taiwan ganharam força nesta quarta-feira, quando as principais fabricantes domésticas e internacionais encontraram membros do governo num esforço para selar acordos diante da aproximação do Ano Novo Lunar.

As três principais fabricantes de memória --DRAM, Powerchip, Nanya Technology e ProMOS-- encontraram-se com membros do governo para discutir possíveis fusões e outras medidas para reduzir o excesso de oferta nesse tipo de chip, usado principalmente em computadores pessoais.

Executivos da japonesa Elpida e da norte-americana Micron, que são parceiros tecnológicos da Powerchip e da Nanya, respectivamente, também planejam viagens ou estiveram recentemente em Taiwan para discutir em um momento em que essa indústria lida com sua pior retração.

Fabricantes de chips do tipo dynamic random access memory (DRAM) enfrentam abundância de oferta e recuo na demanda diante da extensão da crise econômica global, o que faz com que tais empresas estejam perdendo dinheiro em cada chip que produzem.

As ações da Powerchip, ProMOS e Elpida caíram mais de 6 por cento nesta quarta-feira, depois de uma sequência de relatórios na mídia e comunicados de empresas que indicam os esforços para reestruturar a indústria antes dos feriados do Ano Novo Lunar na próxima semana.

A japonesa Elpida Memory disse estar negociando com fabricantes de Taiwan como Powerchip, ProMOS e Rexchip para uma possível fusão ou outras opções.

"Estamos discutindo várias possibilidades, mas nada ainda foi decidido", disse o porta-voz da Elpida, Hideki Saito.

Enquanto isso, o jornal Taiwan Economic Daily, citando um executivo da Nanya Technology, disse que o governo gostaria de unir todas as fabricantes de chips de memória do país em uma única companhia.

Analistas concordam que tal medida poderia posicionar melhor a nova empresa na concorrência com as duas principais fabricantes mundiais, a Samsung e a Hynix Semiconductor, mas se mostraram céticos de que tal acordo pudesse ser fechado.