Telco terá que fazer oferta por TIM, determina CVM

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009 10:19 BRST
 

MILÃO (Reuters) - O órgão regulador do mercado mobiliário brasileiro informou à Telecom Italia que a sua controladora --o consórcio Telco-- está obrigada a lançar uma oferta de aquisição do controle da TIM Participações, informou a Telecom Italia em comunicado nesta sexta-feira.

Tal oferta poderá custar a Telco, que tem participação de 42,3 por cento do grupo telefônico espanhol Telefónica, mais de 1 bilhão de dólares, disseram analistas da corretora BPI.

Outros acionistas da Telco, que detém 24,5 por cento da Telecom Italia, são os bancos italianos Mediobanca e Intesa Sanpaolo, a seguradora Assicurazioni Generali e a holding da família Benetton, a Sintonia.

A Telecom Italia detém 69,8 por cento da TIM Participações por meio de sua unidade afiliada TIM Brasil. A TIM Participações, que emitiu ações ordinárias e preferenciais, tem uma capitalização de mercado de cerca de 9,2 bilhões de reais (3,9 bilhões de dólares), de acordo com dados da Reuters.

A decisão da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) do Brasil não determina nenhuma obrigação direta à Telecom Italia, informou a operadora italiana em um comunicado.

A Telefónica, que tem divisões de linhas fixas (Telesp) e de móveis (Vivo) no Brasil, informou que estava analisando as implicações da decisão.

Analistas do BPI disseram que a possível oferta poderá custar à Telco cerca de 2,5 bilhões de reais (1,1 bilhão de dólares).

Em fato relevante divulgado nesta sexta-feira, a TIM afirmou quem, no entendimento da superintendência do registro de valores mobiliários, "a Telco...tem o dever legal de cumprir a realização da OPA para os acionistas minoritários da companhia aberta brasileira".

"Como não cabe à companhia tomar qualquer ação face ao teor do referido ofício que não a sua divulgação ao mercado no prazo indicado, a companhia encaminhou o ofício à sua controladora indireta, a Telecom Italia S.p.A., para que a mesma possa tomar as medidas que julgar cabíveis ou mesmo aplicáveis à espécie", disse a TIM no fato relevante.

(Reportagem de Danilo Masoni)