Microsoft enfrenta audiência surpreendentemente amigável

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009 19:04 BRST
 

WASHINGTON (Reuters) - Uma audiência para determinar se a Microsoft obedeceu a uma determinação antitruste foi inesperadamente amigável nesta quarta-feira, mas os estados que fizeram as acusações preferiram não comentar se eles poderiam pedir uma extensão da vigilância depois de novembro.

Na audiência, a juíza Colleen Kollar-Kotelly, da Corte Distrital dos Estados Unidos, reviu progressos em várias áreas, ressaltando, em um ponto, que "isso é uma boa notícia."

Stephen Houck, que representa o grupo de estados descontentes, foi surpreendentemente cortês, dizendo que a Microsoft estava "trabalhando duro" para resolver os problemas de ajustes e afirmando que eles estavam "pensando incansavelmente" se deveriam pedir uma extensão da fiscalização.

Kollar-Kotelly já havia dito que queria ver o fim da fiscalização da corte em 12 de novembro de 2009.

A juíza também expressou preocupação sobre a possibilidade de que a decisão da Microsoft de cortar 5 mil postos de trabalho pudesse afetar a preparação dos documentos técnicos exigidos pelos desenvolvedores de software para desenvolver aplicações para o sistema operacional Windows.

O dirigente da Microsoft envolvido no caso, Bob Muglia, tranquilizou a corte, afirmando que "de maneira alguma as mudanças no quadro de funcionários irão afetar" que diga respeito ao processo. "Já disse antes que essa é a nossa maior prioridade e que continuará sendo",disse à corte.

A audiência na quarta-feira foi para comprovar se a Microsoft foi fiel ao pacto que firmava o veredicto de que a companhia tinha se aproveitado de seu domínio de sistemas operacionais de computadores pessoais.

O decreto com a permissão de 2002 cobre os laços da empresa com fabricantes de computador, como seus programas funcionam com outros tipos de softwares e garantia para assegurar que não haverá repetição de práticas antigas.

A Microsoft deve emitir licenças para as empresas que querem desenvolver programas para o Windows e fornecer informações técnicas (o código-fonte) do sistema operacional para esses desenvolvedores.

A próxima audiência está marcada para o dia 22 de abril.

(Reportagem de Diane Bartz)