CVM dá prazo até 9 de março para Telco responder sobre TIM Part

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009 11:26 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Comissão de Valores Mobiliários deu prazo até 9 de março para o consórcio Telco se posicionar sobre a decisão da autarquia em obrigar o grupo a fazer oferta pública pelas ações ordinárias da TIM Participações.

Em comunicado enviado ao mercado, a TIM Participações informa que "pela complexidade das questões tratadas no presente caso", a CVM decidiu estender o prazo que acabaria esta semana para que a Telco se manifestasse sobre a decisão.

A determinação da CVM pode implicar à Telco gasto de mais de 1 bilhão de dólares.

A Telco, que adquiriu 24,5 por cento do controle da Telecom Italia em abril de 2007, teria, na avaliação da CVM que fazer uma oferta pública pelos papéis ordinários da TIM porque a autarquia entendeu que houve mudança no controle indireto na operadora brasileira.

A Telco teria 10 dias úteis para entrar com recurso, mas pediu prorrogação do prazo. Alguns executivos do grupo informaram na semana passada que a Telco não concorda com a decisão do órgão brasileiro.

Na terça-feira, o executivo Luca Luciani, que assumiu a presidência da TIM no Brasil, manteve audiências com o ministro das Comunicações, Hélio Costa, e com o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações, Ronaldo Sardenberg. Ele foi acompanhado por Carmelo Furci, vice-presidente da Telecom Italia para a América Latina.

Pela nova determinação do órgão regulador dos mercados no Brasil, se após a análise do recurso a CVM manter sua decisão, a Telco terá 18 dias para fazer registro da oferta pública.

A Telefónica tem participação de 42,3 por cento na Telco e no Brasil compartilha com a Portugal Telecom o controle da maior operadora celular do país, a Vivo.