Após aval do Ibama, EMBRATEL mira pequenas e médias na Amazônia

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009 13:11 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Embratel, empresa de telecomunicações do grupo mexicano Telmex, obteve a licença definitiva do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para operar uma rede de fibras óticas na Amazônia, região Norte do país.

A empresa começou as obras para implantar as fibras na região em 2005, com uma licença ainda temporária, e desde então afirma ter investido 100 milhões de reais no processo.

Após o aval, a companhia ampliou a velocidade de transmissão de dados e pretende atender cerca de 20 mil clientes de pequeno e médio portes com serviços de acesso à Internet e telefonia, segundo a assessoria de imprensa da Embratel.

A empresa pretende prestar serviços a esse público ainda pouco atendido nessa região, mas somente de forma complementar à rede da NET Serviços, de quem a Embratel é acionista minoritária.

A rede de fibras liga os municípios de Manaus e Porto Velho, em uma distância de 900 quilômetros na Floresta Amazônica.

Inicialmente, ela tinha capacidade de transmissão de 768 megabytes por segundo (Mbps), mas a companhia promoveu ampliações de velocidade para 2,5 gigabytes por segundo.

Como quase 100 por cento da rede é aérea, pelas condições geográficas locais, a empresa implantou 5.388 postes a partir da espécie acariquara, abundante na região, e extraída de áreas com plano de manejo certificadas pelo Ibama.

Para garantir o acesso permanente de sua equipe técnica para manutenção do sistema, a Embratel também construiu ou recuperou algo como 200 pontes para garantir o tráfego entre as duas cidades, segundo a companhia.

(Reportagem de Taís Fuoco, Edição de Aluísio Alves)