Telebrás promove deságio diante de disparada recente de ações

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009 13:50 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O conselho de administração da Telebrás aprovou a emissão de ações ordinárias para capitalização dos créditos da União, no valor de 200 milhões de reais.

A companhia, entretanto, diante das recentes disparadas nos preços das ações com rumores de que a empresa possa ser reativada pelo governo, aprovou também um deságio de 10 por cento na média das cotações entre os dias 5 e 30 de janeiro deste ano.

A empresa admitiu que, nos pregões estabelecidos para fazer a média que servirá de base para a emissão, "a cotação estava bem acima dos valores médios dos últimos pregões", segundo comunicado ao mercado de capitais. Por isso, em vez de estabelecer o preço da emissão em 0,41 real, optou por 0,37 real o lote de 1 mil ações.

Em dezembro, depois da aprovação pelo governo federal do aporte de 200 milhões de reais, as ações da empresa chegaram a subir quase 30 por cento em um único pregão. Um ano antes, quando o governo prometeu capitalizar a empresa, os papéis saltaram mais de 40 por cento.

A decisão do deságio também envolve, segundo a empresa, a grande volatilidade no mercado acionário e a intenção de atrair um maior número de minoritários.

A Telebrás também informou que os recursos do aumento do capital social servirão para o "restabelecimento do equilíbrio econômico e financeiro da companhia" e não citou outros possíveis planos de reativar a companhia, que era a holding de todas as operadoras de telefonia antes da privatização do setor, ocorrido há 10 anos.

A empresa já foi cotada para administrar uma rede pública de banda larga para projetos de inclusão digital, mas o assunto não encontrou consenso nas diversas esferas do governo. No início de janeiro, a companhia informou à Reuters que o destino dos recursos depende de políticas públicas traçadas pelo Ministério das Comunicações, a quem ela está subordinada.

O capital da empresa passará de 219,454 milhões de reais para 419,454 milhões de reais com o aumento. A assembléia de acionistas que discutirá a emissão de novas ações foi marcada para 19 de fevereiro.

(Reportagem de Taís Fuoco, Edição de Alberto Alerigi Jr.)