4 de Fevereiro de 2009 / às 18:04 / 9 anos atrás

Apesar dos bons resultados, SAP promoverá cortes na A.Latina

Por Taís Fuoco

SÃO PAULO (Reuters) - A América Latina foi a região de maior crescimento para a alemã SAP em todo o ano de 2008, mas não ficará de fora dos ajustes que a companhia anunciou no final de janeiro para se adequar a um momento de desaquecimento econômico global.

A produtora, maior empresa mundial de softwares para empresas, anunciou que fará 3 mil cortes ao longo deste ano dentro de um plano de ajustes. O número total de funcionários cairá de 51,5 mil para 48,5 mil até o final do exercício.

"Faremos a mesma coisa na América Latina. Essa é uma ação que envolve todas as áreas de negócios, em todos os países, mas espero que não seja proporcional ao nosso tamanho e à receita", disse Rodolpho Cardenuto, presidente SAP para América Latina, em teleconferência com a imprensa da região.

"Vamos tentar administrar isso da melhor forma", acrescentou ele, que informou que a regional ainda não tem idéia do número de postos que serão fechados na América Latina.

Na sua avaliação, a companhia teve "um ano excelente na América Latina", com crescimento de 20 por cento na receita sobre 2007. Mesmo nos três últimos meses do ano, "no meio do olho do furacão" da crise, disse ele, a empresa teve 10 por cento de crescimento nas vendas de novas licenças de software e de 16 por cento na receita que une software e serviços na região.

"Tanto em 2008 como no último trimestre, a região América Latina foi a de maior crescimento para a SAP no mundo", afirmou Cardenuto. A companhia se divide em quatro grandes regiões.

MAIS FINANCIAMENTO AOS CLIENTES

Uma das estratégias que a SAP utilizou para manter o crescimento no bloco foi a parceria com bancos e financeiras para conceder financiamentos aos clientes.

No Brasil, ela tem parcerias com o Aymoré e o Itaú, mas outros bancos fazem o mesmo nos demais países.

Em 2008, o volume financiado pela SAP aos seus clientes foi 169 por cento maior que no ano anterior, enquanto o número de transações teve um salto de 65 por cento.

Segundo Cardenuto, a companhia pretende ampliar o número de parceiros para financiamento na América Latina, mas ainda não definiu quantos e quais.

Para 2009, ainda que não divulgue os números esperados, a SAP acredita que sua gama de produtos lhe ajudará a manter os níveis de expansão. "Espero que a gente continue com esse nível de crescimento", disse o executivo aos jornalistas.

A empresa de origem alemã também divulgou que lançará o novo pacote de softwares empresariais Business Suite 7 na América Latina até maio.

Um estudo da Information Technology Intelligence citado pela Reuters na segunda-feira citou que cerca de 35 por cento das empresas estão adiando ou cancelando planos de atualizar softwares originalmente previstos para este ano.

Cardenuto, entretanto, informou que 250 clientes em todo o mundo já utilizam a nova suíte e que não vê "nenhuma relação entre a Business Suite 7 e a crise".

Segundo ele, como o atual pacote é modular, vai permitir que as empresas migrem por segmento, reduzindo o seu custo total de propriedade (TCO, da sigla em inglês). "Isso vem atender a uma demanda dos próprios clientes", disse.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below