Symantec planeja armazenagem na Web para consumidores

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009 13:34 BRST
 

Por Jim Finkle

BOSTON (Reuters) - A Symantec, maior produtora mundial de software de segurança, lançará em breve um novo serviço de armazenagem de dados na Web voltado aos consumidores, entrando em um mercado liderado pela Mozy, da EMC, e pela Carbonite, uma empresa de capital fechado.

Janice Chaffin, presidente da divisão de produtos ao consumidor da Symantec, declarou em entrevista que sua empresa começará a oferecer o novo serviço no final do mês que vem.

"Acreditamos que essa venha a ser uma oportunidade grande e crescente", disse Chaffin à Reuters.

A Symantec já oferece 2 gigabytes de armazenagem online aos consumidores de um seus pacotes de software de segurança, o Norton 360.

Cerca de 30 por cento dos usuários do Norton 360 utilizam o recurso de backup online. O sistema funciona em modo de fundo, copiando automaticamente para os servidores da Symantec os documentos importantes do usuário. As cópias podem ser facilmente recuperadas caso um computador quebre ou arquivos venham a ser acidentalmente apagados.

As novas ofertas da Symantec serão semelhantes a esse serviço, mas vendidas à la carte, disse Chaffin. Ela se recusou a discutir preços ou recursos do produto, antes do lançamento.

O mercado de armazenagem online, ainda pequeno mas em rápido crescimento, no momento é dominado pela Mozy, que cobra cinco dólares mensais por armazenagem ilimitada, e pela Carbonite, que fornece armazenagem ilimitada por 50 dólares ao ano.

Os usuários do Norton 360 podem armazenar até 2 gigabytes de dados sem pagamento adicional, mas terão de pagar caso excedam esse limite.

Chaffin disse que o novo serviço de armazenagem é um dos diversos que a Symantec está preparando para o mercado de computação em nuvem, ou serviços de computação oferecidos via Web.

A empresa também está expandindo seus serviços via Web que ajudam a proteger computadores, melhoram seu desempenho e permitem que os usuários obtenham assistência técnica a distância quanto suas máquinas quebram, disse.