Projeção trimestral da RIM decepciona; ações despencam

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009 17:38 BRST
 

TORONTO/NOVA YORK (Reuters) - A Research in Motion anunciou que sua receita trimestral e margem bruta de lucro ficariam perto do limite inferior das expectativas, ainda que o crescimento no número de usuários supere as projeções, um alerta que causou queda de quase 12 por cento nas ações da fabricante do BlackBerry nesta quarta-feira.

Os analistas informaram que a RIM havia conseguido atrair novos assinantes com celulares inteligentes vistosos como o Storm, equipado com tela sensível a toque, ou o modelo de topo de linha Bold, mas que os clientes atuais não estão substituindo seus aparelhos com a mesma frequência devido à deterioração nas condições econômicas.

"Provavelmente veremos cortes de custos em grandes instituições financeiras... e os consumidores simplesmente não estão comprando novos celulares", disse James Cordwell, analista da Atlantic Equities, em Londres. "Isso mostra que a RIM não está imune à desaceleração econômica, uma tendência comum a todas as empresas."

A empresa informou que agora calcula que o crescimento líquido no número de usuários no trimestre que se encerra em 28 de fevereiro seja 20 por cento superior ao previsto em 18 de dezembro.

Mas o lucro por ação e a margem bruta devem ficar perto do extremo inferior da faixa projetada e o faturamento deve ficar perto do ponto médio, informa a RIM, que concorre com a Apple, a Nokia e outros fabricantes de celulares inteligentes.

Em dezembro, a RIM havia previsto faturamento trimestral de entre 3,3 bilhões e 3,5 bilhões de dólares, com lucro por ação da ordem de entre 0,83 e 0,91 dólar. Os dois números estavam acima das projeções médias de Wall Street naquele momento e por isso os analistas elevaram suas estimativas e as ações da empresa dispararam, com alta de mais de 40 por cento no ano, até o momento.

Mas a projeção divulgada nesta quarta-feira sinaliza que a RIM pode ficar abaixo da previsão média de lucro 0,86 dólar por ação apurada pela Reuters Estimates. Os analistas estimavam, em média, faturamento de 3,4 bilhões de dólares.

(Por Franklin Paul e Sinead Carew em Nova York e Scott Anderson em Toronto)