Positivo nega negociação para venda do controle

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009 20:10 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A possibilidade de que a Positivo Informática tenha recebido nova oferta de compra, pela chinesa Lenovo ou mesmo por outra multinacional, levaram as ações da companhia a saltos de mais de 80 por cento nesta segunda-feira.

A empresa, entretanto, em nota, negou qualquer negociação em curso que sustente as especulações mencionadas nas notícias, "as quais são totalmente infundadas", disse a empresa.

"A única certeza que temos é a da volatilidade dos papéis" nos próximos dias, disse o analista Alan Cardoso, da Ágora Corretora. Os papéis fecharam o dia a 9,30 reais, uma alta de 78,85 por cento.

Segundo o analista, a alta nas ações é, ao mesmo tempo, uma oportunidade e um risco para o minoritário. "Primeiro é preciso saber se a oferta realmente existe, depois saber a que preço e, por último, saber se o controlador vai aceitar, porque ele já recusou uma vez", lembrou o analista.

Em dezembro, a própria Lenovo informou ao mercado ter encerrado negociações com a Positivo, por não haver um consenso diante das incertezas econômicas. A oferta era de 18 reais por ação da empresa brasileira.

"Dezoito reais já era um preço muito bom", opina Cardoso, já que os papéis da Positivo abriram o dia negociados a 5,20 reais nesta segunda-feira.

Alguns rumores da imprensa, entretanto, falam que a oferta poderia ter sido elevada para 31 reais, mas, para o analista da Ágora, "o preço me parece excessivo", uma vez que o mercado mudou de dezembro para cá, pondera, diante do agravamento da crise financeira internacional.

A Lenovo já aventou a possibilidade de crescer através de aquisições em países emergentes, mas não citou especificamente o Brasil. Em fevereiro, ela informou seu primeiro prejuízo em três anos, diante do aprofundamento da recessão global, e informou só esperar a volta do lucro em 2010.

Na nota distribuída nesta segunda-feira, a Positivo "recomenda que os acionistas não tomem qualquer decisão de investimento com base nessas especulações".

"O objetivo da presente divulgação não é apenas registrar que inexiste, por incompleto, ato ou fato relevante que deva ser divulgado ao mercado na forma da regulamentação em vigor, mas negar a existência de qualquer negociação em curso para venda do controle da companhia", afirma a Positivo.

(Reportagem de Alberto Alerigi Jr. e Taís Fuoco)