Consultoria BearingPoint pede concordata nos EUA

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009 15:19 BRT
 

Por Chelsea Emery

NOVA YORK (Reuters) - A BearingPoint, que fornece serviços de tecnologia e de consultoria administrativa ao governo dos Estados Unidos, fez um pedido de proteção judicial contra falência nesta quarta-feira, afirmando que fechou acordo com credores para reduzir sua dívida.

A companhia, que começou como braço de consultoria da KPMG e depois passou por problemas contábeis e investigação de autoridades regulatórias dos EStados Unidos, vinha sendo pressionada por pesada carga de dívida exacerbada por uma onda de aquisições promovida entre 1999 e 2002.

Além disso, clientes antigos e novos começaram a evitar fazer negócios com a empresa diante de preocupações sobre sua capacidade de cumprir compromissos, segundo informações que constam em documentos judiciais.

A empresa informou que o procedimento de concordata segue um plano de reestruturação pré-arranjado e que por isso o processo poderá ser completado de maneira acelerada. Operações da companhia no exterior não estão incluídas no pedido de concordata.

No Brasil, a empresa tem três escritórios, em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Não ficou claro imediatamente se cortes de empregos serão necessários.

"A companhia planeja operar seus negócios de maneira habitual", informou um porta-voz. "Nossa equipe se focará nas necessidades de nossos negócios e nas necessidades de nossos clientes."

Entre os clientes da BearingPoint estão 15 órgãos federais do governo dos Estados Unidos, 23 Estados do país e todas as 10 maiores companhias farmacêuticas e de biotecnologia do mundo. A empresa emprega 15.200 pessoas.