Venda de novas linhas de celular cai 30% em janeiro, mas consultor descarta relação com crise

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009 16:25 BRT
 

Por Taís Fuoco

SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil adicionou 1,3 milhão de novos assinantes de celular no mês de janeiro, um recuo de 30 por cento sobre as 1,877 milhão de habilitações naquele período.

A queda, entretanto, não é atribuída à crise econômica, e sim a um comportamento atípico da TIM no primeiro mês do ano passado, segundo Eduardo Tude, presidente da consultoria especializada Teleco.

"Apesar de o número de adições ter sido menos que o de janeiro de 2008, não se pode atribuir a queda à crise econômica", afirmou ele, em entrevista à Reuters.

O consultor explica que, em janeiro deste ano, Vivo e Claro --as duas maiores do mercado, em número de clientes-- tiveram crescimento sobre o mesmo mês de 2008.

Além disso, em janeiro do ano passado, a TIM teve um desempenho extraordinário e foi responsável, sozinha, por 800 mil das 1,877 milhão de adições feitas naquele mês.

"A explicação está mais no comportamento atípico da TIM do que em um desaquecimento", afirmou Tude.

Segundo ele, ainda não há sinais de crise no segmento de celular brasileiro e os meses de janeiro e fevereiro são, tradicionalmente, atípicos.

"Não esperamos para o ano um crescimento tão vigoroso como de 2008, mas ainda esperamos um crescimento forte", afirmou o executivo. Em 2008, o número de clientes de celular saltou 24,5 por cento sobre 2007, para 150,5 milhões de usuários.   Continuação...