Microsoft corta custos mas mantém orçamento de pesquisa

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009 15:10 BRT
 

Por Bill Rigby

REDMOND, Washington, 25 de fevereiro (Reuters) - A Microsoft manterá seu grande orçamento de pesquisa ainda que esteja demitindo funcionários e cortando custos a fim de enfrentar a queda mundial na demanda pelo seu software, de acordo com o encarregado das pesquisas em longo prazo do grupo.

"Nos bons e nos maus momentos, é preciso manter continuamente esse espectro de investimentos em pesquisa e desenvolvimento, se você deseja sobreviver e prosperar no longo prazo", disse Craig Mundie, vice-presidente de pesquisa e estratégia, em entrevista na sede da maior produtora mundial de software, em Redmond, Washington.

"As empresas que se saem melhor no final de uma recessão são aquelas que apostam em novos produtos", disse Mundie. "Quero que a Microsoft seja uma delas."

A Microsoft planeja gastar cerca de 9 bilhões de dólares em pesquisa e tecnologia neste ano fiscal, ou cerca de 15 por cento de sua receita estimada de 60 bilhões de dólares. "Você não verá muitas empresas acompanhando esse nível, e certamente apenas algumas acima dele."

"O que trabalharemos com mais afinco para preservar é o nosso investimento em pesquisa e desenvolvimento", acrescentou Mundie. "Ele pode se manter o mesmo, mas duvido que venha a cair, pelo menos não de forma significativa."

A Microsoft está sob pressão de corte de custos, já que os gastos empresariais e pessoais estão em queda por efeito da recessão mundial. Em janeiro, a companhia anunciou planos para cortar até cinco mil funcionários em prazo de 18 meses.

Na manhã de terça-feira, Steve Ballmer, presidente-executivo da Microsoft, disse a analistas de Wall Street que a empresa prevê dificuldades econômicas, mas não ofereceu planos imediatos de corte de custos.

Mundie, veterano com 17 anos de Microsoft, foi um dos dois substitutos de Bill Gates quando o fundador se afastou da companhia para se concentrar em atividades filantrópicas.

Mundie focaliza a direção tecnológica de longo prazo da Microsoft, enquanto o vice-presidente de arquitetura de software, Ray Ozzie, estabelece a agenda de curto prazo.

 
<p>A Microsoft manter&aacute; seu grande or&ccedil;amento de pesquisa ainda que esteja demitindo funcion&aacute;rios e cortando custos a fim de enfrentar a queda mundial na demanda pelo seu software, de acordo com o encarregado das pesquisas em longo prazo do grupo.</p>