February 27, 2009 / 4:22 PM / 8 years ago

Dell não atinge meta de vendas, mas resultado supera expectativa

3 Min, DE LEITURA

Por Gabriel Madway

SAN FRANCISCO, Estados Unidos (Reuters) - A Dell sofreu uma queda maior que a esperada na receita do trimestre passado diante da queda no gasto dos consumidores que optaram por máquinas mais baratas. Apesar disso, cortes de custos ajudaram a companhia a superar estimativas de lucro de Wall Street.

A Dell também elevou meta de corte de custos para 2011 a 4 bilhões de dólares, ante 3 bilhões de dólares anteriores, sinalizando que preservar a lucratividade continua a ser foco da companhia. Apesar de aumentar a meta, a empresa evitou discutir a possibilidade de demissões.

"A Dell continua a preferir o lucro ao crescimento, e os custos são um nível que a empresa pode controlar, e ela está fazendo isso com sucesso", disse Bill Kreher, analista da Edward Jones.

A Dell não ofereceu projeções financeiras, mas enfatizou o ambiente de fraca demanda.

"Não somos capazes de prever a profundidade ou duração dessa crise, ainda que nossos planos girem em torno de uma desaceleração prolongada", disse o vice-presidente financeiro Brian Gladden, em conversa com analistas.

"Somos os primeiros a admitir que esse é um trabalho em progresso e que há mais a fazer", acrescentou.

As vendas de computadores respondem por 60 por cento da receita da Dell, o que expõe a empresa, a segunda maior fabricante de computadores do mundo, atrás da HP, a problemas causados pela paralisante queda na demanda.

A Dell vem adotando medidas de corte de custos já há algum tempo, e está demitindo funcionários e reformulando sua estrutura corporativa. O grupo anunciou que o total de empregados havia caído 11 por cento ante o número do ano passado, para 78,9 mil.

A empresa anunciou ter decidido preservar caixa no trimestre, abrindo mão de recompra de ações, e por isso terminou o período com 9,5 bilhões de dólares em caixa e investimentos.

O lucro líquido no quarto trimestre fiscal da Dell, encerrado em 30 de janeiro, mostrou queda de 48 por cento, para 351 milhões de dólares, ou 18 centavos de dólar por ação. Um ano antes, o ganho havia sido de 679 milhões de dólares, ou 31 centavos de dólar por ação.

Excluindo eventos não recorrentes, o lucro correspondeu a 29 centavos de dólar por ação, acima de estimativa de analistas de 28 centavos, segundo média apurada pela Reuters Estimates.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below