Gartner reduz projeções para celulares e vê queda de estoques

terça-feira, 3 de março de 2009 10:26 BRT
 

Por Tarmo Virki

HELSINQUE (Reuters) - O mercado de celulares em crise se contrairá em 4 por cento este ano, prejudicado pelos esforços do varejo em eliminar estoques de aparelhos não vendidos, e a estabilidade não deve retornar até 2010, afirmou o grupo de pesquisa Gartner na terça-feira.

"A baixa confiança dos consumidores está forçando os distribuidores e varejistas a limitar o volume que mantêm em estoque", afirmou a empresa de pesquisa de tecnologia da informação, acrescentando que os varejistas devem começar a repor seus estoques de celulares no segundo semestre de 2009.

"Isso não marcará o começo de uma recuperação de mercado -não antecipamos que a demanda se estabilize antes de 2010", disse Carolina Milanesi, diretora de pesquisas sobre celulares no Gartner.

As empresas do setor de telefonia móvel foram seriamente prejudicadas pela crise financeira.

Por exemplo, a Nokia, líder mundial entre os fabricantes de celulares, deve reportar lucro por ação de apenas 0,08 euro no trimestre de janeiro a março, o pior resultado da empresa desde o terceiro trimestre de 2001. Nessa época, todos os fabricantes de celulares somados venderam apenas 94 milhões de aparelhos, menos do que a Nokia deve vender sozinha neste trimestre, de acordo com as projeções.

O declínio do setor ficou claramente visível ao se expandir aos mercados emergentes no terceiro trimestre de 2008, disse Milanesi.

"Os celulares nos mercados emergentes e desenvolvidos apresentaram o menor crescimento trimestral já registrado (dois por cento) ante o período anterior, no quarto trimestre", disse Milanesi. "As vendas se deterioraram rapidamente, o que fez de 2008 um ano desafiador para o setor de celulares."

A Gartner anunciou que os fabricantes de celulares reduziram os estoques em cerca de 17 milhões de aparelhos no quatro trimestre, devido a expectativas de queda da demanda que agravaria a situação do varejo.

Milanesi disse que antecipa quedas de estoque da ordem de 20 milhões a 30 milhões de unidades no primeiro trimestre, e um pouco maiores no segundo.

Devido à recessão e consequente redução de estoques, o Gartner afirma que antecipa queda de 4 por cento nas vendas de celulares em 2009, ante projeção de 1 por cento de queda em dezembro.