ANÁLISE-Yahoo: nova presidente, nova estrutura, mesmo problema

terça-feira, 3 de março de 2009 14:07 BRT
 

Por Alexei Oreskovic

SAN FRANCISCO, Estados Unidos (Reuters) - O Yahoo tem uma nova presidente-executiva e uma nova estrutura corporativa, mas o problema que a empresa enfrenta segue sendo o mesmo: o que fazer com a operação de busca.

A presidente-executiva, Carol Bartz, afirma que não tem planos para vender a companhia, mas não descarta a possibilidade de um acordo com a Microsoft, que tem interesse nos negócios de busca da empresa como forma de competir com o líder do segmento, Google.

"No curto prazo o mercado quer um acordo com a Microsoft", afirma o gestor de fundos Mike Binger, da Thrivent Financial. "Para a maior parte dos observadores esse acordo não tem mistério", acrescentou. "Mas para as pessoas que têm relação com o negócio, eles não conseguem realizá-lo. Não tenho certeza do motivo, mas creio que seja por conta de preço."

O co-fundador e ex-presidente-executivo do Yahoo, Jerry Yang, rejeitou uma oferta de 47,5 bilhões de dólares que a Microsoft fez para comprar a companhia no ano passado, o que gerou muita irritação entre os investidores da empresa de Internet.

Mas a venda somente da divisão de busca gera outras questões, dada a importação dessa operação para a cultura do Yahoo e seus produtos.

Uma venda dessa operação permitiria ao Yahoo reduzir despesas, mas os dados gerados pelas buscas dos internautas são um ativo valioso para empresas que dependem de receitas publicitárias.

Os dados de busca são usados para a geração de anúncios que aparecem junto aos resultados das pesquisas feitas pelos usuários e estão sendo cada vez mais sendo utilizados para a segmentação de campanhas promocionais.

Qualquer venda da divisão de buscas precisaria garantir ao Yahoo acesso aos dados de busca, afirmam analistas. Além disso, depender de uma companhia externa poderia deixar a administração da empresa desconfortável.   Continuação...

 
<p>O Yahoo tem uma nova presidente-executiva e uma nova estrutura corporativa, mas o problema que a empresa enfrenta segue sendo o mesmo: o que fazer com a opera&ccedil;&atilde;o de busca.</p>