Nos EUA, milhões estão despreparados para TV digital

sexta-feira, 6 de março de 2009 13:42 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - A três meses do final do prazo, as autoridades regulatórias dos Estados Unidos afirmam que consumidores do país continuam despreparados para a transição do setor de televisão para as transmissões digitais, que afetará quem não recebem sinais de televisão por cabo ou satélite.

A transição, determinada pelo governo federal, estava marcada originalmente para 17 de fevereiro, mas os legisladores a adiaram para 12 de junho, supondo que os telespectadores precisavam de mais tempo para se preparar.

A transição do sistema analógico para o digital permite que as redes de TV enviem mais dados de forma mais eficiente e libera porções do espectro para telefonia móvel e a transmissões de rádio relacionadas à segurança pública.

Cerca de um terço dos 1,8 mil transmissores nacionais plenos de sinais de TV adotaram a transmissão digital em lugar da analógica no prazo original, 17 de fevereiro, ainda que apenas cerca de 15 por cento dos domicílios do país estivessem preparados.

"Temos de ter em conta que isso é apenas o começo e que há grandes impactos à nossa espera", disse Eloise Gore, diretora associada do serviço de mídia da Comissão Federal de Comunicações (FCC), em reunião pública sobre a transição.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e a maioria dos democratas do Congresso do país conseguiram aprovar um adiamento da transição para 12 de junho, depois que um programa governamental que subsidia a aquisição de conversores necessários para os televisores mais antigos se viu bloqueado devido a questões orçamentárias. Isso deixou milhões de domicílios em uma lista de espera pelos cupons de desconto.

Os defensores de um adiamento temiam que grupos vulneráveis, como os idosos e os de baixa renda, perdessem acesso a informações de emergência caso passassem muitos dias sem sinal de televisão.

"Para muita gente, a televisão não é apenas uma fonte de entretenimento, mas uma fonte vital de notícias que pode representar um salvavidas em situação de emergência", disse Michael Copps, presidente interino da FCC.

CONVERSOR DE ATÉ US$80   Continuação...