Taiwan investirá US$860 milhões em nova empresa de chips DRAM

terça-feira, 10 de março de 2009 10:06 BRT
 

Por Baker Li

TAIPÉ (Reuters) - Taiwan injetará 30 bilhões de dólares taiuaneses (860 milhões de dólares) na Taiwan Memory, a nova empresa de chips de memória para computadores que está criando para gerar viabilidade de longo prazo ao seu problemático setor de chips de memória.

John Hsuan, um veterano do setor apontado na semana passada pelo Ministério da Economia para supervisionar o estabelecimento da nova empresa de chips DRAM, ofereceu essa estimativa a repórteres na terça-feira.

A quantia é equivalente a menos da metade dos 70 bilhões de dólares taiuaneses que Yiin Chii-ming, ministro da Economia, havia anunciado anteriormente estar disponível para investimento na nova companhia, pelo fundo nacional de desenvolvimento de Taiwan.

Os principais fabricantes de chips DRAM de Taiwan perderam dinheiro ao longo da maior parte do ano passado. O setor de DRAM do país consiste primordialmente de empresas de segundo escalão em uma indústria mundial que está lutando contra sua pior desaceleração, causada por excesso de oferta. E essa superprodução ainda foi agravada pela queda da demanda provocada pela crise econômica mundial.

"Quanto menos dinheiro o governo investir, melhor", disse Hsuan, enfatizando a necessidade de minimizar o uso de verbas públicas para resgatar um setor que dá emprego a milhares de pessoas.

"Quando ao fundo nacional de desenvolvimento, antecipo que não mais de 30 bilhões de dólares de Taiwan serão usados", disse Hsuan, vice-presidente honorário da United Microelectronics, a segunda maior fabricante de chips sob contrato do mundo.

Ele não ofereceu explicação para o montante menor, ou quaisquer outros detalhes sobre a nova companhia e o que aconteceria com as empresas existentes e seus acionistas. O anúncio da semana passada também não revelou muitos detalhes.

Taiwan anunciou a formação da Taiwan Memory e informou que o governo deteria menos de metade do capital da nova empresa.

Hsuan disse também que alguns fundos de capital privado o haviam contatado sobre possível investimento na Taiwan Memory, e disse estar procurando recursos junto a bancos de investimento estrangeiros, mas não forneceu nomes.