Funcionários da Sony na França detêm presidente em fábrica

sexta-feira, 13 de março de 2009 11:54 BRT
 

BORDEAUX, França (Reuters) - Funcionários de uma fábrica da Sony no sudoeste da França detiveram o presidente-executivo do braço francês da companhia durante a madrugada para exigir melhores termos de dispensa quando a fábrica fechar em abril.

Serge Foucher e muitos outros executivos da Sony foram soltos no meio da manhã desta sexta-feira, depois que os trabalhadores obtiveram garantias de que tomarão parte em uma nova rodada de negociações.

Os funcionários prenderam os gerentes na unidade em Pontonx-sur-l'Adour na noite de quinta-feira e bloquearam a estrada que dá acesso ao local com troncos de árvores, disseram autoridades locais.

Representantes do sindicato afirmaram que a ação foi o único modo de retomar as negociações sobre pacotes de dispensa que não eram generosos o bastante.

"Nós esperamos que dessa vez nossas vozes serão ouvidas", disse o membro do sindicato Patrick Hachaguer à Reuters por telefone, conforme os empregados e os gerentes libertados embarcaram em um micro-ônibus para ir até os escritórios do governo local para retomar as negociações.

Os nervos tem estado à flor da pele na França, atingida como outros países ao redor do mundo por uma onda de fechamentos de fábricas e dispensas temporárias massivas devido à crise econômica global.

Trabalhadores em uma pequena cidade do norte do país arremessaram ovos e insultaram executivos na quinta-feira em protesto contra o fechamento da fábrica de pneu pelo grupo alemão Continental, que eliminaria 1.120 empregos.

A unidade da Sony em Pontonx-sur-l'Adour, que emprega 311 funcionários, deve fechar em 17 de abril. A visita de Foucher às instalações na quinta-feira foi a última antes do término das atividades.

A Sony considerou a possibilidade de converter unidade para fabricação de painéis solares em vez de componentes magnéticos, mas descartou o plano, enfurecendo os trabalhadores que esperavam manter seus empregos.

Autoridades locais mediaram a situação para evitar uma intervenção policial, que poderia ter aumentado as tensões.

(Por Claude Canellas)

 
<p>Socialista franc&ecirc;s Henri Emmanuelli fala a jornalistas em meio a protesto de trabalhadores de f&aacute;brica da Sony em Pontonx-sur-l'Adour, no sudoeste da Fran&ccedil;a</p>