Time Warner aponta Armstrong, do Google, para a America Online

sexta-feira, 13 de março de 2009 10:08 BRT
 

Por Yinka Adegoke

NOVA YORK (Reuters) - A Time Warner na quinta-feira apontou Tim Armstrong, um executivo do Google, para o comando da America Online, em uma decisão vista como ousada e que tem por objetivo reverter a situação de sua problemática divisão de Internet.

A contratação foi uma surpresa comemorada entre os analistas de Wall Street, que consideram Armstrong um executivo respeitado que comandou as operações norte-americanas do Google. Ele é mais conhecido por seu trabalho no desenvolvimento das operações de publicidade online no Google e no ano passado foi citado como possível candidato à presidência do Yahoo.

"Tim é o executivo certo para levar a America Online à próxima fase de sua evolução", afirmou Jeff Bewkes, presidente-executivo da Time Warner, no comunicado que anuncia a indicação de Armstrong como presidente-executivo e do conselho da America Online.

"Ele também será útil para ajudar a Time Warner a determinar a estrutura ideal para a America Online", disse.

Armstrong substituirá Randy Falco, um executivo da NBC que deixará a empresa depois de um período de transição, como o fará o vice-presidente de operações da America Online, Ron Grant, anunciou a Time Warner. Falco e Grant foram conduzidos aos seus postos em novembro de 2006.

Bewkes já havia declarado publicamente que está procurando a melhor maneira de resolver o futuro da America Online na Time Warner, por meio de alternativas que incluem ou uma cisão ou uma fusão com um parceiro como o Yahoo ou a MSN, da Microsoft.

A Time Warner vem conduzindo discussões intermitentes com o Yahoo, em especial sobre uma combinação que poderia aproveitar a audiência e os negócios publicitários da America Online.

Richard Greenfield, analista da Pali Research que havia apelado pela substituição de Falco e Grant, diz que a notícia da indicação de Armstrong foi "muito positiva e uma grande surpresa para os investidores".

"Embora estivéssemos pedindo pela saída de Falco e Grant, não esperávamos que a Time Warner conseguisse contratar um executivo da estatura de Tim Armstrong para a problemática America Online", afirmou.

Em nota a clientes divulgada na quinta-feira, ele argumentava que a receita da America Online havia caído em 50 por cento sob o comando de Falco, com base nas projeções para 2009 ante os resultados de 2006.