Nokia corta 1.700 empregos no mundo por demanda fraca

terça-feira, 17 de março de 2009 08:53 BRT
 

Por Tarmo Virki

HELSINQUE (Reuters) - A Nokia vai cortar 1.700 empregos no mundo nos próximos meses por causa da demanda em queda, informou a maior fabricante de celulares do mundo, nesta terça-feira.

A companhia informou em janeiro que tinha como meta cortes de custos anuais na unidade de celulares de mais de 700 milhões de euros (909,3 milhões de dólares), para combater a demanda em redução.

A Nokia informou nesta terça-feira que além da unidade de celulares, vai também reduzir empregos na divisão de marketing, desenvolvimento corporativo e suporte global.

Até 700 empregos serão eliminados na Finlândia, sede da empresa.

O mercado global de celulares deve recuar em cerca de 10 por cento este ano, atingido por contenção de gastos dos consumidores e por vendedores que tentam reduzir seus estoques.

"O primeiro trimestre será fraco e depois haverá uma melhora", disse Martti Larjo, analista do Nordea. "Alguns fornecedores de componentes sinalizaram uma ligeira melhora."

A Nokia deve divulgar lucro por ação do primeiro trimestre de 0,08 euro, nível mais fraco desde o terceiro trimestre de 2001, quando as vendas globais no período foram de 94 milhões de celulares, menos do que a Nokia sozinha vai vender neste trimestre.

O Goldman Sachs espera que as vendas em volume do mercado caiam 14 por cento este ano e aumentem somente 5 por cento no próximo ano. Anteriormente, o banco de investimento tinha previsto queda de 10 por cento em 2009 e crescimento de 10 por cento em 2010.

 
<p>A Nokia vai cortar 1.700 empregos no mundo nos pr&oacute;ximos meses por causa da demanda em queda, informou a maior fabricante de celulares do mundo, nesta ter&ccedil;a-feira.</p>