Grupo pede que FTC investigue proteção à privacidade no Google

quarta-feira, 18 de março de 2009 17:23 BRT
 

Por Alexei Oreskovic

SAN FRANCISCO (Reuters) - Um grupo de defesa da privacidade online apelou a autoridades regulatórias do governo que investiguem a qualidade das salvaguardas de segurança do Google, depois que a empresa inadvertidamente divulgou informações privadas de usuários este mês.

Em queixa apresentada à Federal Trade Commission (FTC) dos Estados Unidos na terça-feira, o Electronic Privacy Information Center critica as práticas do Google com relação aos seus chamados serviços de computação em nuvem, que armazenam documentos gerados pelos usuários e outras informações pessoais em servidores da empresa, e não no computador pessoal do usuário.

A organização, que se concentra na defesa das liberdades civis e da privacidade, também solicitou que a FTC proíba o Google de oferecer serviços de computação em nuvem até que a empresa tenha adotado certas salvaguardas.

O Google afirmou em comunicado que a empresa havia recebido uma cópia da queixa, mas não a havia revisado em detalhes.

"Estamos amplamente conscientes de quanto os dados de nossos usuários são importantes para eles, e levamos muito a sério a nossa responsabilidade", afirmou a empresa, acrescentando que tinha extensas normas, procedimentos e tecnologias para garantir o nível mais elevado de proteção a dados.

Em 7 de março, o Google anunciou que um bug em seu software de produtividade online, o Google Docs, havia inadvertidamente permitido o acesso de terceiros a documentos pessoais de uma pequena porcentagem de seus usuários. O problema, que já foi consertado, afetou 0,05 por cento dos documentos armazenados no sistema e estava limitado a pessoas que, no passado, tivessem compartilhado documentos com terceiros, informou o Google.

"O problema com os dados do Google Docs destaca os riscos acarretados pelas práticas de segurança inadequadas do Google, bem como os riscos dos serviços de computação em nuvem, em termos mais gerais", afirmou Marc Rotenberg, diretor executivo do EPIC, em comunicado.

Ele acrescentou que existiam "amplos precedentes" para que a FTC iniciasse uma investigação.

(Reportagem de Alexei Oreskovic)

 
<p>Homem passa por sede do Google, em Mountain View, Calif&oacute;rnia. Um grupo de defesa da privacidade online apelou a autoridades regulat&oacute;rias do governo que investiguem a qualidade das salvaguardas de seguran&ccedil;a do Google, depois que a empresa inadvertidamente divulgou informa&ccedil;&otilde;es privadas de usu&aacute;rios este m&ecirc;s.</p>