Área técnica da CVM mantém decisão que obriga Telco a fazer OPA

segunda-feira, 23 de março de 2009 18:49 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A superintendência de registro da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) manteve a decisão para que a Telco realize uma oferta pública de ações (OPA) para os minoritários da brasileira TIM Participações, citando para isso os termos do artigo 254-A da Lei 6.404/76.

Em comunicado, o órgão que regula o mercado brasileiro de capitais informou, entretanto, que "cabe ao Colegiado da CVM fazer a manifestação final, sendo que não há um prazo específico para esse processo", explicou.

O consórcio Telco, que adquiriu o controle da Telecom Italia em seu país em 2007, passou a deter 24,5 por cento da Telecom Italia ao comprar a holding Olimpia, que pertencia à Pirelli.

A espanhola Telefónica é a única estrangeira entre os sócios do consórcio e controla 42,3 por cento da Telco.

Em fevereiro deste ano, alegando a complexidade do assunto como justificativa para não expressar uma decisão antes, a CVM determinou que a Telco fizesse uma oferta pública pelas ações com direito a voto da TIM em circulação, por entender que houve mudança no controle indireto da operadora brasileira, terceira maior do país em número de clientes.

A direção do consórcio já manifestou discordância da decisão da autarquia. Analistas estimam que uma oferta como essa possa envolver algo em torno de 1 bilhão de dólares.

Além disso, como a Telefónica controla 50 por cento da Vivo, há quem entenda que uma mudança em sua posição na TIM Brasil possa envolver também alterações na composição acionária da Vivo, maior do Brasil em número de assinantes.

(Reportagem de Taís Fuoco)