Google vai cortar 200 empregos nas equipes de vendas e marketing

quinta-feira, 26 de março de 2009 19:36 BRT
 

Por Alexei Oreskovic

SAN FRANCISCO (Reuters) - O Google está cortando sua equipe de vendas em aproximadamente 200 funcionários, dizendo que há certas partes da companhia com investimentos em excesso.

A medida é o mais recente esforço da líder de busca da Web para cortar custos em meio à economia travada e uma queda global nos gastos com publicidade. Em janeiro, o Google dispensou cerca de 100 recrutadores e afirmou que até 40 pessoas seriam dispensados em fevereiro, quando a empresa refreou seus investimentos em publicidade via rádio.

"Quando as companhias crescem a essa velocidade, é quase impossível fazer tudo corretamente e nós certamente não o fizemos", disse Omid Kordestani, vice-presidente sênior do desenvolvimento em negócios e vendas globais, em um anúncio postado no blog do Google nesta quinta-feira.

"Somado a isso, nós realizamos investimentos em excesso em algumas áreas, em preparação para os movimentos de crescimento que nós estávamos vivendo na época", acrescentou.

A companhia tem quase 21 mil funcionários. A empresa, sediada em Mountain View, Califórnia, não revela quantos colaboradores possui nas áreas de vendas e marketing.

Sameet Sinha, analista na JMP Securities, afirmou que os cortes estão de acordo com a agenda do vice-presidente financeiro da companhia, Patrick Pichette, que assumiu o cargo no ano passado e tem feito do corte de custos uma prioridade.

"Sua primeira linha de ataque mirou em gastos não prioritárias. Agora ele está olhando para algumas das maiores divisões onde você pode cortar custos", disse Sinha, que avalia a "performance de mercado" das ações da Google.

Sinha ainda disse que a equipe de vendas está mais vulnerável a cortes, na esteira da recente saída da empresa do chefe de vendas nos Estados Unidos, Tim Armstrong, para assumir um importante cargo na Time Warner AOL.

A Google controla o mecanismo de busca número 1 nos Estados Unidos, com uma participação de mercado de aproximadamente 63 por cento, de acordo com a comScore. Em 2008, 97 por cento dos 21,8 bilhões de dólares em receitas da empresa vieram de publicidade.