Google lança serviço de músicas gratuito na China

segunda-feira, 30 de março de 2009 09:38 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - O Google lançou nesta segunda-feira um serviço gratuito de músicas na China, dividindo a receita de publicidade com as principais gravadoras em um mercado dominado pela pirataria.

Lee Kai-Fu, presidente do Google na China, afirmou que uma razão do Google ter ficado para trás no país foi a falta de oferta de download de músicas, a parte que faltava na estratégia em um mercado onde perde para a líder Baidu.com.

"Nós estamos oferecendo downloads gratuitos, de alta qualidade e legalizados", disse ele à Reuters.

O serviço oferece download de cerca de 350 mil músicas --de artistas chineses e estrangeiros--, número que crescerá para 1,1 milhão nos próximos meses, disse Gary Chen, presidente-executivo do www.Top100.cn, site de música chinês co-fundado pela estrela de basquete Yao Ming e parceiro do Google.

Músicas de artistas gravadas pela Sony Music, Warner Music, EMI e Universal Music serão disponibilizadas pelo Google, que não pretende expandir o serviço para além da China, segundo Lee.

"Essa é a primeira tentativa séria de começar (a faturar) no mercado online da China. Eu não posso superestimar o quão importante é isso", acrescentou Lachie Rutherford, presidente da Warner Music da Ásia-Pacífico e presidente da Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI, na sigla em inglês) na Ásia.

Os usuários poderão fazer buscas por medições musicais, como o nível da "batida" e a "instrumentalidade", pelo nome do artista ou da música.

A IFPI informou no ano passado que mais de 99 por cento de todos os arquivos de música distribuídos na China são pirateados, e o mercado legítimo de música total do país, de 76 milhões de dólares, responde por menos de 1 por cento das vendas globais.

 
<p>Internauta chin&ecirc;s navega em site do Google em Pequim. O Google lan&ccedil;ou nesta segunda-feira um servi&ccedil;o gratuito de m&uacute;sicas na China, dividindo a receita de publicidade com as principais gravadoras em um mercado dominado pela pirataria.</p>