Anatel investiga falhas em serviços da Telefônica, VIVO e TIM

quinta-feira, 9 de abril de 2009 20:03 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou nesta quinta-feira que abriu investigações sobre três falhas de prestação de serviços de telecomunicações que afetaram os consumidores nos últimos dias.

O órgão regulador investiga problemas nos serviços de banda larga da Telefônica no Estado de São Paulo, uma falha em equipamento da Vivo, em Belo Horizonte (MG), e outra ocorrência com equipamento da TIM, que teria afetado várias regiões do país.

A agência explica, em comunicado à imprensa, que as operadoras já foram notificadas e, "caso comprovadas as responsabilidades, haverá a exigência de ressarcimento dos danos causados aos consumidores prejudicados pelas falhas".

No caso do serviço Speedy da Telefônica, o atendimento aos usuários sofreu quedas de qualidade entre os dias 6 e 9 de abril, segundo a Anatel. "A falha do serviço de comunicação multimídia da Telesp, causada aparentemente por sobrecarga anormal, afetou todos os cerca de 4 milhões de usuários do Speedy", diz a agência.

Em nota mais cedo, a própria Telefônica informou que "parte da infraestrutura que dá suporte ao acesso à Internet tem sido alvo de ações deliberadas e de origem externa que acarretaram dificuldades de navegação em páginas da Internet aos seus clientes".

A operadora disse que está comunicando formalmente os fatos às autoridades para investigar a autoria e motivação das ações e "tomar as medidas que forem cabíveis".

No caso da Vivo, a agência apura um problema ocorrido nesta quarta-feira, em Belo Horizonte (MG). De acordo com a Anatel, uma falha no PTS (elemento de rede responsável pela sinalização de tráfego) da Vivo prejudicou a prestação do serviço de 1,8 milhão dos 45 milhões de usuários da companhia.

A falha detectada na rede da TIM foi anterior aos problemas de Vivo e Telefônica. A agência investiga uma anormalidade de hardware no dia 27 de março que gerou indisponibilidade nos sinais de voz, mensagens de texto e mensagens multimídia para usuários no Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Distrito Federal, Goiás e nas regiões Norte e Nordeste do país.

Segundo os cálculos da Anatel, o número de usuários afetados é de aproximadamente 1,6 milhão, de um total de 36 milhões de usuários da TIM.

"Após a análise das ocorrências, a agência procederá às devidas autuações e, se for o caso, aplicar as sanções regulamentares", diz a nota da Anatel.

(Reportagem de Taís Fuoco, Edição de Eduardo Simões)