Internautas expõem corrupção do governo chinês na rede

sábado, 11 de abril de 2009 10:54 BRT
 

Por Ian Ransom

PEQUIM (Reuters) - Além de estar sob pressão para criar mais empregos e gerar crescimento, o Partido Comunista da China enfrenta uma dor de cabeça com os usuários da Internet empenhados em expor as condutas questionáveis dos membros do governo.

Duas faturas de gastos em um clube de karaokê geraram no começo deste mês o último furor na Internet sobre a corrupção do governo, pondo fim à carreira de um burocrata de Liuyang, na província sulista de Hunan.

Verificadas e enviadas à rede por um navegador anônimo, as faturas incluíam quase 7 mil dólares em jantares, massagens e outros serviços.

O escândalo de Liuyang foi parte de uma cadeia de notícias nos últimos meses, geradas por exposições na Internet de funcionários que desfrutam de férias luxuosas no exterior sob a justificativa de viagens "de estudo", ou que são fotografados usando relógios valiosos.

Com a mídia controlada pelo Estados, que frequentemente se nega a informar, e supervisores designados pelo partido envolvidos em escândalos, os internautas chineses se propuseram a deixar em evidência a corrupção do governo.

"Há uma sensação de que o governo central perdeu o controle sobre os funcionários em vários lugares", disse Rebecca McKinnon, especialista em Internet da Universidade de Hong Kong.

"Temos a crise financeira e muita gente preocupada com a corrupção e com a maneira com que o governo administra as finanças da nação", acrescentou McKinnon.

A corrupção não é algo novo na China, mas os últimos escândalos se desenvolveram em meio à exigência de mais transparência no plano de estímulo chinês de 4 bilhões de iuanes (585 milhões de dólares) para reativar a economia debilitada.